Perfil Piloto: Georgios Frangulis – Velocidade é paixão, negócios e sonhos

Ao embarcar para Portugal, quando foi correr no Estoril na temporada de 2019, a Porsche Cup adicionou mais uma cara nova aos boxes e mais um carro no grid. Daquele momento em diante, Georgios Frangulis e a máquina #88 que leva as cores roxo e preto da OakBerry, passariam a ser presença constante nos eventos da categoria.

Mas, a paixão de Georgios por carros e pelas pistas vem de muito antes dele acelerar pela primeira vez um Porsche de competição.

Aficionado por velocidade desde garoto, Frangulis sempre sonhou em ser piloto de Fórmula 1. Porém, seu sonho de pilotar na principal categoria do automobilismo mundial acabou antes do esperado, quando seu pai vetou sua ida para a equipe de kart de um amigo.

Georgios lembrou do acontecimento com bom humor. “Meu pai também sonhava em ser piloto e o meu avô vetou ele de correr de carro quando era mais jovem. Ele jurava para mim que não faria o mesmo comigo, mas, quando tive a chance, ele também me ‘tesourou’ e eu brinco com ele até hoje sobre isso. Apesar disso, ele sempre me fala que se tivesse me deixado correr, eu poderia não ter nada do que tenho hoje, nem a Porsche Cup e nem a Oakberry.”

Foi então que Frangulis se viu em uma situação onde teria que perseguir seus sonhos de outra maneira. Se formou em direito, mas nunca atuou na área. Foi aos Estados Unidos com o desejo de trabalhar no mercado imobiliário. Mas, as coisas não caminhavam do jeito que ele imaginava. Após sair de Miami em direção à Califórnia em busca de novas oportunidades, Georgios teve a ideia que mudou sua vida.

Fazendo um experimento que ele mesmo se propôs, percebeu que o estadunidense tinha um hábito alimentar muito ruim. E que faltavam opções de fast-food saudáveis.

Foi quando teve a ideia de unir a alimentação rápida com um cardápio mais saudável, assim surgiu a Oakberry.

Pensada para um modelo de negócios nos Estados Unidos, Frangulis teve dificuldades de começar seus negócios no país. Voltou ao Brasil onde deu início ao projeto que fez um sucesso enorme e muito rápido. Hoje a marca está em 12 países, inclusive nos Estados Unidos.

Apaixonado não só por automobilismo, mas por outros esportes em geral, viu a chance de atingir seu público alvo investindo nesse ramo. Para o esporte a motor, surgiu a Oak Racing Team. Equipe que leva o nome da marca para as pistas. Além da Porsche Cup, a ORT já tem carros em diversas categorias significantes no país.

Atualmente, além de levar a Oakberry em destaque no carro #88 dirigido por Georgios Frangulis, a empresa também é uma das patrocinadoras da categoria. e está estampada em todos os carros do grid.

“Eu acredito muito que a forma da marca se apresentar para o consumidor final e os potenciais consumidores, diz muito sobre o potencial que você vai ter no final do dia. Nós entendemos que, como marca, estar presente em eventos que o cliente gosta de ter algum tipo de relação é super vantajoso e importante para a Oak. Por exemplo, uma das poucas coisas que alguém que está no Super Bowl ou na Fórmula 1 e alguém que está em um shopping de São Paulo podem fazer de igual é tomar um Oakberry.”

Foi com esse pensamento que participamos de alguns dos eventos mais quentes do mundo. Baile da Vogue, Miami Open e o Super Bowl. A grande final do futebol americano e um dos eventos mais assistidos do mundo foi um marco, pois a Oakberry foi a primeira empresa brasileira a participar do evento como fornecedor. O acordo que já vigorava durante toda a temporada entre a Oak e a NFL foi sucesso absoluto.

Porém, o sonho do nosso Grego, como é conhecido pelos amigos de dentro e fora da Porsche Cup não para por aí. Georgios sonha em um dia fazer da Oak Racing Team uma equipe de Fórmula 1, categoria que é sua paixão. Seria a volta de uma equipe brasileira ao grid mais famoso do mundo desde a década de 80.

Porém, o homem de negócios sai de cena quando ele veste o macacão e o capacete. Dentro das pistas, Georgios vem tendo uma evolução meteórica nos carros de competição mais produzidos do planeta motor.

Georgios estreou na categoria ano passado, e logo em sua segunda largada viu Dennis Dirani decolar e bater muito forte, o que o deixou com receio. Na reposição da prova onde Dirani bateu, foi a vez do próprio Frangulis escapar e colocar a prova a segurança dos 911 GT3 Cup.

Ainda com o pé atrás ele começou 2020 longe de seu melhor desempenho. O período de pandemia, onde os motores foram silenciados por longos meses ajudaram o Grego a colocar a cabeça no lugar e entender que podia acelerar 100% sem medo de acontecer algo mais grave. Foi então que os resultados começaram a aparecer para ele, conseguindo pódios na categoria e subindo inclusive no pódio da GT3 geral em uma das baterias de Goiânia.

Rapidamente, a Porsche Cup virou uma das paixões da vida de Georgios. “Enquanto eu ainda for capaz de acelerar um carro de competição, vocês vão me ver no grid, espero que isso possa continuar por muitos anos ainda.” – disse o piloto.

Deixando de lado a velocidade e os negócios, Frangulis é um cara muito família. Sempre que não está viajando para competir ou trabalhar, ele gosta de passar um tempo em casa com a esposa, para poder curtir sua: “Junto com ela adoro assistir qualquer tipo de corrida de carro ou futebol americano.”

Atualmente seu grande hobby é andar de kart. Ele usa a atividade como forma de treino e diversão para estar preparado para acelerar nos finais de semana da Porsche Cup.

E pensa que a paixão por motor acabou por aí? Georgios é um grande fã dos carros, gosta de sair pelas ruas, levar para lavar, cair na estrada sem destino para curtir o vento na cara e a sensação de viajar sem rumo.

Ainda teremos muitos anos de Georgios Frangulis acelerando os carros de competição mais produzidos do planeta. Quem sabe em um futuro próximo também veremos uma equipe que surgiu acelerando aqui, participando também na Fórmula 1.

PARCEIROS