Porsche vence 24 Horas de Le Mans virtual com o carro #93 na classe GTE

Marca de mais sucesso nas 24 Horas de Le Mans em todos os tempos e pioneira no automobilismo virtual no mundo, a Porsche mais uma vez escreveu seu nome na história da mais tradicional corrida de longa duração do planeta.

O carro #93 prevaleceu na classe GTE das 24 Horas de Le Mans virtual, com mais de uma volta de vantagem sobre o segundo colocado. A estrelar e multinacional tripulação vencedora contou com o britânico Nick Tandy (vencedor das 24 Horas de Le Mans com a Porsche em 2015), o turco Ayhancan Güven (vice-campeão da Porsche Supercup em 2019 e piloto júnior da marca em 2020 graças à vitória no shootou do ano passado), o australiano Joshua Rogers (primeiro campeão mundial do Porsche TAG Heuer Esports Supercup) e o norueguês Tommy Østgaard (estrela do Porsche TAG Heuer Esports Supercup).

Maior corrida de automobilismo virtual da história, a realização das 24 Horas de Le Mans virtual envolveu 200 pilotos, de várias nacionalidades. O evento foi organizado pelo WEC (Campeonato Mundial de Endurance), ACO (Automobile Club de l’Ouest) e Motorsport Games e promovido na mesma data em que seria realizada a tradicional prova -adiada para setembro em virtude da pandemia global. 

O regulamento seguia à risca o padrão das 24 Horas de Le Mans, nos quesitos trocas de pilotos, pit-stops e quilometragem mínima de cada tripulante dos carros (inclusive nos stints noturnos). Foram disputadas apenas as classes LMP2 e GTE, as únicas com seus modelos mais recentes disponíveis na plataforma de simulação eleita para a corrida. 

Cada carro podia contar com até dois especialistas em automobilismo virtual, ao lado de dois pilotos do automobilismo tradicional. Foi a composição mais selecionada pelos 50 times participantes, embora carros como o do colombiano Juan Pablo Montoya e dos brasileiros Tony Kanaan, Felipe Massa, Pietro Fittipaldi e André Negrão tenham optado por três ou mais especialistas do asfalto em suas tripulações.

Entre outras estrelas, a prova contou com nomes Fernando Alonso, Rubens Barrichello, Charles Leclerc, Lando Norris, Max Verstappen, Jenson Button, Antonio Giovinazzi, Brendon Hartley e Sébastien Buemi. Diversos pilotos também com participações pela Porsche Cup brasileira nas corridas de Endurance, casos de Nelsinho Piquet, Esteban Guerrieri, Max Papis e Dennis Olsen.

Na classe GTE, a Porsche foi a marca mais representada, com oito carros no grid. Foram quatro equipes de fábrica do Porsche Esports Team e mais quatro privadas, sendo dois carros do Team Project 1, um da Gulf Racing e outro da Dempsey-Proton Racing. Todos correram com o Porsche 911 RSR, o mesmo carro da casa de Stuttgart que disputa o Mundial de Endurance.

Os Porsche dominaram a prova desde o classificatório, emplacando três carros nas quatro primeiras posições, e 100% da primeira fila. Em boa parte da corrida a marca teve os três primeiros colocados, sempre com o #93 em destaque. Com uma estratégia perfeita de paradas de box e 22 pit-stops (foi a tripulação que menos precisou parar nos boxes), o carro recebeu a bandeirada com Østgaard depois de 24 horas. A vitória no geral ficou com o Rebellion Williams #01.

PARCEIROS