Perfil do Piloto: Conheça um pouco mais sobre André Gaidzinski

Apaixonado pelo mundo da velocidade desde criança, o piloto André Gaidzinski começou cedo o seu interesse pelo mundo dos motores. Desde os 10 anos já acompanhava as corridas de Fórmula FIAT e aos 17 anos decidiu realizar o seu maior sonho, começando a sua trajetória profissional pelo Kart, em 1991.

Após um tempo afastado das pistas, envolvido apenas com os seus negócios em Santa Catarina, retornou em 2018 aos treinos e corridas profissionais, fechando a temporada do circuito Porsche Cup em sexto lugar geral. Em 2019, o catarinense foi o único representante do Estado competindo o campeonato de Sprint na classe GT3 Challenge 3.8.

Indo para sua terceira temporada completa no grid dos carros de competição mais produzidos no planeta, o piloto do carro #14 busca bons resultados na temporada de 2020, ano em que a categoria completa seu 15º aniversário.

“A Porsche Cup foi uma das melhores opções em matéria de organização, competência e equipamentos para acelerar em uma categoria. A Dener Motorsport é um excelente exemplo de governança e entrega de serviços.”

Quer conhecer um pouco mais da vida de André Gaidzinski? Suas curiosidades, hobbies fora das pistas? Qual será o Porsche dos sonhos do piloto catarinense? Confira no quiz!

P: Quem é seu ídolo no esporte?
R: Ayrton Senna e Nelson Piquet.

P: Qual a primeira lembrança que tem de uma corrida considerando qualquer categoria?
R: Foi no Campeonato Brasileiro de Fórmula Ford no Circuito de rua em Florianópolis, uma corrida que cheguei em quinto lugar. Foi um grande desafio porque larguei em décimo sexto por um problema na injeção eletrônica na classificação. Avancei 11 posições, mas poderia ter sido mais se a corrida não tivesse terminado com bandeira amarela.

P: O que sentiu quando acelerou o Porsche pela primeira vez?
R: Surpreendentemente!!! Foi em um teste em 2017 que tive o primeiro contato com um carro de Turismo. O que mais me impressionou foi o Torque do motor, o Grip e a tecnologia embarcada com Paddle-Shift e Punta-taco sem embreagem. É um carro com personalidade com todo respeito de uma máquina de corridas.

P: Qual a corrida mais importante da carreira e por quê?
R: Podemos destacar algumas como no Kart em Lages Santa Catarina que fiquei em terceiro no Campeonato Serra Ilha, no Campeonato Brasileiro de Fórmula Chevrolet em Goiânia, e o P2 na Corrida 2 na Porsche CUP no domingo de manhã da Fórmula 1, em Interlagos, em 2018.

P: Qual corrida sonha em ganhar?
R: Vencer na Porsche CUP em Domingo de F1 não seria nada mal, mas o que eu mais quero na vida é ser Campeão do Campeonato da Porsche CUP.

P: Quantas temporadas correndo na Porsche Cup?
R: Estou no meu terceiro ano, agora com domínio do carro, com bons tempos e um excelente início de Campeonato.

P: Por que escolheu este numeral para seu carro?
R: Uso o número 14 desde o Kart, na Fórmula Ford e Chevrolet, sempre gostei do 14 por ser um múltiplo de 7. Já corri também com números 02, 30 e 21.

P: Tem alguma superstição ou ritual antes das corridas?
R: Quando corria com Monopostos entrava sempre pelo esquerdo com o Pé direito, já na Porsche CUP isso já acontece por consequência, o volante está do lado esquerdo do Cockpit e também costumo desembarcar do avião com pé direto quando chego em uma cidade que vou correr.

P: Possui algum Hobby fora da pista?
R: Gosto de Pescar, um Hobby que tomei gosto com meu pai desde Criança, desde então pesco em Alto Mar no Verão no Pharol de Santa Marta, em Laguna (SC) e no inverno, quando não tem choque com agenda de treinos e corridas, vou pescar no Pantanal.

P: Como entrou para o automobilismo?
R: Vem de família, com os primos no Kart, Roberto Gaidzinski Bastos, Renato Naspolini e o Henrique Gaidzinski Perez que foi Tri Campeão Brasileiro de Kart. A minha mãe, Iara Gaidzinski, me deu o meu primeiro Kart, a quem eu tenho muito a agradecer, minha incentivadora, tá sempre presente até hoje, agora na Porsche CUP.

P: Qual seu gênero musical favorito?
R: Rock Progressivo: RUSH, YES, Peter Gabriel, Pat Metheny, Bill Bruford, Alan Holsworth são alguns.

P: Pratica outros esportes?
R: Somente Automobilismo.

P: Qual a situação mais estranha que já viu em uma pista de corrida?
R: Quando treinávamos de Formula Chevrolet em Jacarepaguá e um cachorro passou na minha frente no final da retão a 220 Km/h.

P: Tem algum apelido?
R: Deca, nasceu junto com o meu nome, minha irmã mais velha, Patrice, que escolheu meu nome e meu apelido ao mesmo tempo.

P: Se pudesse escolher guiar qualquer Porsche de rua no dia a dia qual modelo ia escolher e por quê?
R: O meu mesmo, um Porsche Cayenne Turbo. Ele é um 911 disfarçado de SUV que anda tanto quanto e em qualquer terreno.

PARCEIROS