Lance a Lance: Confira um resumo dos acontecimentos em pista que marcaram a Etapa 4

Guilherme Salas cravou a largada de forma precisa saltando de quarto para primeiro, ultrapassando o pole Renan Pizii por fora no contorno do S do Senna. O carro #16 teve que se contentar com o segundo lugar, seguido por Paludo, Feldmann e Neuguebauer.

Outros destaques da largada foram Enzo Elias, com o carro #73, saltando de décimo para sexto, e Pietro Fittipaldi, com o #29, avançando de 14º para oitavo.

O carro de segurança foi acionado no fim da primeira volta, para resgate do carro #555.

Na GT3 Cup, o maior salto no início foi de Sergio Jimenez com o #12, de 23º para 18º e assumindo a liderança tanto no geral quanto na Sport e Trophy. O carro pole, #19, partiu com Lucas Salles e vinha logo atrás do #12.

Já Leo Sanchez, que era o segundo do grid dos carros de motor 3.8, sequer largou. Entre as voltas de apresentação ele levou o Porsche #15 para a área de serviço e o carro passou por reparos.

A relargada na quarta volta viu Salas abrir vantagem, enquanto Paludo atacava Pizii; Werner buscava cada milímetro de pista para levar vantagem sobre Feldmann; e Pietro emparelhava com Boesel no setor mais travado da pista.

Paludo desenhou a manobra para assumir o segundo lugar desde o Bico de Pato até o final da reta principal. A vantagem de Salas sobre o carro #7 já era superior a 3s àquela altura.

Feldmann repetiu a manobra de Paludo sobre Pizii na volta seguinte. E Werner o fez na abertura da volta 10.

Nesse mesmo giro Galid Osman chegou a ultrapassar Jimenez pela liderança da GT3, mas o #12 conseguiu dar o troco. Raphael Abbate, com #440, vinha imediatamente atrás.

Na volta 15 Enzo Elias, líder da Trophy, passou Pizii no Bico de Pato e assumiu o quinto lugar no geral. Salas seguia abrindo vantagem na frente, com mais de 8s de margem sobre Paludo, liderando na Sport também.

Pela GT3 os três primeiros eram, nesta ordem Jimenez (liderando também na Sport e na Trophy), Galid e Salles.

A primeira janela de pits foi aberta entre as voltas 18 e 19. Entre os carros do top10, os primeiros a pararem foram o #8 e o #11. Já pela GT3 quem abriu os boxes foi o #440.

Salas levou o #3 para os pits no fim da volta 21.

Com 45 minutos de prova ficou claro que alguns competidores optariam por estender o stint inicial até as 28 voltas mandatórias para cada piloto, casos de Paludo, Feldmann, Enzo, Azevedo, Giaffone, Nelson Marcondes e Lucas Salles.

A entrada dos ponteiros no box coincidiu com o início da garoa em Interlagos. Os carros que estavam na pista de slick logo acusaram o piso molhando, com aumento no tempo de voltas e algumas escapadas.

Na volta 30 Dennis saiu dos pits com o #7, seguido por Thiago Camilo no #1. Mas a liderança era do #3, com Fran Lara, com mais de 12s de margem.

Com 34 voltas completadas, Lara trouxe o #3 para o segundo pit, bem como Neugebauer, Frangulis, Pedro Aguiar e Guilherme Bottura. Dennis herdou a liderança, com 12s de vantagem sobre Camilo. Este vinha bastante pressionado por Jeff Giassi com o carro #73.

Pela GT3, com metade da prova realizada, a liderança era da dupla do carro #17, de Matheus Iorio e Ricardo Fontanari –em um respeitável 15º lugar no geral da corrida. Suzuki vinha a seguir com o #19 e logo depois Vitor Baptista com o #145. Pela classe Trophy o mais bem colocado era Marcio Mauro, com 18º na prova.

Na volta 43, o carro #16 precisou de serviço no box de apoio. Na pista, Dennis tentava manter a vantagem sobre Camilo na casa dos 12s. Mas este conseguiu um refresco de 4s em cima de Giassi.

Cinco giros mais tarde, Dennis levou a máquina #7 para os pits. Camilo acompanhou o movimento. Na volta 50 Dirani saiu dos pits e Lara passou centímetros à sua frente na entrada da reta Oposta, para recuperar a liderança da corrida. Na passagem seguinte, Giassi ultrapassou Carbone pelo quarto lugar na freada do S do Senna.

No giro 52 Dennis colou em Lara no Bico de Pato, mas o carro #7 perdeu rendimento no Mergulho e estacionou metros depois. Lara então entrou para o terceiro e último pit obrigatório. E foi a vez de Camilo assumir a ponta e tentar colocar voltas rápidas em sequência para lutar pela vitória com o carro #1 no final. Giassi já aparecia 9s atrás dele.

Na classe GT3 Suzuki liderava com o carro #19 em 11º no geral. O #22 de Tony Kanaan e Caio Castro era o líder na GT3 Sport, enquanto Jimenez e Edson dos Reis lideravam na Trophy.

Até que na volta 54, no mesmo trecho da pista onde Dennis havia perdido rendimento, Camilo ficou lento com o #1 –e nem sequer conseguiu chegar aos pits. Giassi então assumiu a liderança.

Giassi trouxe para os pits na volta 58, seguido por Cesar Ramos e Gaetano di Mauro. Suzuki seguia na pista, liderando tanto na GT3 quanto no geral. De volta à pista, Gui Salas acelerava forte para empurrar o carro #3 de volta ao primeiro lugar com os concorrentes diretos na última parada de box.

Com o pelotão restabelecido na pista e 12 voltas para a bandeirada quadriculada, Salas reassumiu a liderança com Enzo Elias em segundo, 16s atrás. Carbone vinha em terceiro com o #8, depois Casagrande e Danilo. Pela GT3 a liderança era do #19, à frente do #12 e do #87.

Com os pits finais todos realizados, Salas liderava com mais de 20s sobre Enzo. Este sustentava margem de 5s sobre Carbone, com Casagrande e Danilo completando o top5.

Pela GT3 o top5 indicava Suzuki, Hellmeister, Gresse (liderando na Sport), Kanaan e Iorio. O líder na Trophy era o #45, de Marcio Mauro. Mas a cinco voltas do fim, o carro #17 teve um pneu furado e Iorio precisou passar novamente pelos pits, com o pódio no geral escapando de suas mãos.

Com a corrida resolvida, nas duas voltas finais o charme da prova ficou por conta de um belo duelo entre Pietro Fittipaldi e Rubens Barrichello. Eles vinham em voltas diferentes, mas emparelhavam suas máquinas em grande estilo, mostrando formidável espírito competitivo das provas de longa duração da Porsche XP Private Cup.

Com a vitória no geral, Salas levantou também o troféu de primeiro lugar na classe Sport. Em segundo, Elias venceu pela Trophy. Carbone, Casagrande e Danilo completaram o pódio. Na GT3 a vitória ficou com Suzuki, à frente de Hellmeister, Gresse (triunfando na Sport), Kanaan e Vitor Baptista. Marcio Mauro ganhou na classe Trophy, com o sexto lugar entre os carros de motor 3.8.

PARCEIROS