Batalha de F1 em Goiânia: Di Grassi x Massa

Haviam sido percorridas 75 das 79 voltas da corrida de 300 km em Goiânia. O calor era forte e o ritmo eletrizante. Mais de duas horas de prova tinham sido realizadas, os protagonistas não tinham mais pit-stop obrigatório para cumprir.

Mas a prova estava ainda indefinida, com disputas em todos os pelotões e nas cinco divisões.

No fim da reta, depois de um formidável duelo de vácuo, dois ex-F1 batalhavam por palmos de asfalto com seus Porsche de competição.

Felipe Massa com o carro reserva #91 seguiu Lucas di Grassi de perto, se lançou por fora na freada e conseguiu contornar as três primeiras curvas à frente do terceiro campeão mundial da Fórmula E. Lucas respeitou o espaço do compatriota na luta pela terceira posição na prova.

Os dois percorreram quase a volta toda emparelhados, com o vice-campeão da F1 em 2008 fechando a volta novamente por fora na reta principal. Eles passaram pela linha de chegada separados por apenas 6 milésimos -com o carro #27 reserva um átimo à frente.

Na freada Lucas mergulhou por dentro. Recuperou a terceira posição com estilo em um dos pegas mais incríveis da Porsche Cup em 2020.

“A disputa com o Di Grassi foi boa. Largamos de 17º e chegamos no final disputando a terceira posição, foi muito boa a corrida. Ultrapassei o Lucas por fora na curva 1 e ele me deu o troco depois de que eu fui frear na sujeira. O terceiro lugar estava na mão e esse meu erro custou isso para a dupla. Foi uma ótima corrida como aprendizado, levando em conta também largar com o carro reserva, era para brigarmos pela vitória com o nosso carro”, disse Massa depois da cerimônia de pódio.

Di Grassi, em suas mídias sociais, repercutiu a disputa. “Eu e meu irmão Felipe Massa disputando o pódio da Porsche Endurance durante as voltas finais. Tomei um passão por fora, mas consegui recuperar”, escreveu o piloto do carro #27 na postagem.

Para Dener Pires, diretor técnico da Porsche Cup, a disputa coroou um formidável esforço de toda equipe técnica da categoria.

“Nossa meta é entregar equipamentos idênticos para todos. Com os desafios logísticos impostos pela pandemia, isso virou uma tarefa gigantesca. Mas com muita garra a equipe conseguiu e o pega entre Massa e Lucas mostra isso. Os dois estavam nos carros reserva, com a performance idêntica às dos carros titulares mesmo depois de quase 300 km de corrida. Cada um usou o jogo de vácuo de uma maneira e os dois conseguiram a ultrapassagem. É este o espírito do nosso campeonato de Endurance: competidores disputando até o final no mais alto nível e com igualdade de condições”, analisou o dirigente.

PARCEIROS