“Alegria, comemoração e superação, não só minha, como do time”, Alan Hellmeister. Veja as declarações dos pilotos

Assista à prova completa no YouTube da Porsche Império Endurance Series.

Veja também o álbum de fotos da etapa.


O que eles disseram

“Nossa, foi algo inesperado! A equipe conseguiu manter a cabeça erguida. Nós nos dedicamos muito para largar na frente e na volta de apresentação aconteceu algo com o Felipe, e a roda saiu. Largamos de último, o Felipe fez uma largada espetacular e ganhou muitas posições. Depois foi impor o ritmo, e aí veio a vitória!”
Vitor Baptista

“Eu adoro o Brasil agora! Estou muito feliz! Não estava acreditando depois do azar que tivemos quando vi a roda ir embora. Aí pensei ‘eu vim de Portugal para cá, não vou baixar os braços!’ E fomos à luta! Na largada, comecei logo a ultrapassar, tendo cuidado com os carros da 3.8, mas foi ataque ao máximo. O primeiro stint foi bem longo, bem duro, mas depois o Vitor fez um trabalho espetacular que ele esperava que eu fizesse não fosse o problema inicial, mas esse cara anda bem rápido!”
Filipe Albuquerque

“Estou muito feliz. A gente fez um grande trabalho e aproveitamos todas as oportunidades que tivemos. O Maurizio fez 32 voltas em um ritmo incrível, o mais longo de nós. Depois eu fiz uma boa entrada e o Marco também. Quando eu voltei, começou a chover e eu fiz duas pernas seguidas. Muitos colocaram pneus de chuva e eu fiquei com o slick. Depois o Marco entrou para fazer a última perna e foi brilhante, nos trazendo essa vitória.”
Gaetano di Mauro

“Alegria, comemoração e superação, não só minha, como do time. Foi um time dentro da pista e na minha recuperação, fora. Isso mostra que não somos nada sozinhos. A gente depende das pessoas, procuramos fazer o melhor. Precisamos melhorar bastante ainda, fomos campeões. É excelente, mas queremos ganhar corridas, isso está faltando para nós, e vamos buscar no ano que vem.”
Alan Hellmeister

“Aqui não é uma equipe, é um trabalho em família já. Eu falo para ele. Nós nos conhecemos como instrutor e aluno, passou um ano, virou uma amizade, e hoje é um irmão mais velho. Falo para ele que esse campeonato não foi para mim, foi para ele. É uma honra estar no carro com ele. Há um ano, lembro de tê-lo abraçado numa cadeira de rodas, e agora estou no lugar mais alto do pódio com ele. É muito mais do que qualquer motivação que eu preciso. Nós queremos ganhar, queremos ir atrás. Ser campeão é muito bom, mas ser campeão ganhando é muito melhor. Então, ainda tem um bom rio para remarmos para chegarmos onde queremos.”
Luca Seripieri

“O campeonato da Sprint foi difícil. A palavra azar define bastante, mas no Endurance fiz uma baita parceira com o Zonta e a Shell, e passamos perto de ganhar o campeonato. Para falar a verdade, eu não estava controlando a pontuação do Overall, e foi uma baita surpresa. É legal para começar o ano que vem com a corda toda de novo, vamos brigar pelo título de novo.”
Werner Neugebauer

“A temporada teve altos e baixos. Tive algumas corridas difíceis, mas evolui. Consegui melhorar cada vez mais meu tempo. Ontem fiz um tempo melhor do que o da Fórmula um que já era melhor do que o do começo do ano.Estou pegando cada vez mais experiência eestou muito contente. O Campeonato de overall é muito bacana, fomos muito bem no campeonato de Endurance, mas o Átila e o Léo mereceram. Foi um ano muito bom, o balanço é altamente positivo.”
Chico Horta

“Nem o melhor roteirista escreveria o campeonato dessa maneira. Foi a minha estreia na Porsche, que eu sempre acompanhei de fora, mas, com a entrada do Leo na categoria, vim a algumas corridas para conhecer um pouco mais, e aceitamos o desafio de fazer a Endurance. Sempre com o desafio de melhorar, o Leo está estreando no automobilismo. Mas em Portugal surpreendemos e ganhamos a corrida, o que nos animou. Em Goiânia, sem safety car e uma estratégia que não demandou tanto, o Leo deu show na pista, foi muito bem, elevou muito o nível de pilotagem dele. Aqui em São Paulo, sabíamos que seria difícil, é a casa de todo mundo, mas jogávamos com o resultado a nosso favor. Tentamos chegar entre os três, e entre os três chegamos. Estou muito feliz e quero parabenizar o Leo pelo trabalho, sei que algumas vezes fui chato com ele, fui bem exigente, mas era justamente para alcançar o objetivo e mostrar que vale a pena. Quero agradecer ao Dener Pires e a toda a equipe da Porsche por ter nos acolhido tão bem, e dizer que no ano que vem estaremos de volta para defender o título.”
Átila Abreu

“Valeu cada puxão de orelha, estou até rouco de tanto torcer por ele. Também é a minha primeira vez num campeonato de Endurance. Venho tendo uma evolução, com os conselhos do Átila, com toda a assessoria que ele me dá, o que ele não sabe e eu também não sei, ele traz alguém que sabe. Em Portugal a vitória deu um clique na minha cabeça e consegui evoluir. Em Goiânia, consegui fazer uma boa prova, e terminamos em primeiro. Em Interlagos sabia que seria mais difícil por ser a casa de todo mundo, mas conseguimos evoluir e ganhar o campeonato. Aí, Dener, estamos na história!”
Leo Sanchez

“Perdemos muito tempo no começo da corrida com o problema no carro titular. Tivemos que fazer a troca e o Werner voltou com o carro reserva e teve um ganho alto de velocidade. Se a gente largasse sem esse problema seria diferente. Foi bom, nos adaptamos ao carro e fizemos algumas alterações durante a corrida. No começo ele estava muito traseiro, ruim de guiar. Conseguimos solucionar isso e tiramos muita vantagem. “
Ricardo Zonta

“Foi uma experiência muito legal, estão todos de parabéns. Foram disputas limpas e estou muito contente com o terceiro lugar. Saímos de 15º e terminamos perto do primeiro, foi uma corrida muito legal. Quero agradecer todo mundo que fez isso acontecer e espero voltar mais vezes. Me senti muito bem e quero participar mais vezes desse evento.”
Gabriel Casagrande

“Foi uma corrida muito boa, tivemos um problema que fez a gente perder 40 segundos e aí não sei se por isso escapou a vitória. Tirando isso fizemos uma boa corrida e estamos felizes com o resultado. Estou extremamente feliz e vamos par ao ano que vem que tem mais. ”
Pedro Aguiar

“A corrida foi bem difícil. Nosso ritmo era espetacular nas primeiras voltas, mas na segunda parte o carro quebrou. Acabamos perdendo muito tempo e atrapalhou demais a gente. ”
Guilherme Salas

“Foi uma pena, até ter o problema estávamos em primeiro em um ritmo muito bom. O Vitor estava atrás e com certeza iríamos terminar perto. É uma pena, tínhamos tudo para ganhar e acabou furando o radiador, não sabemos o motivo, mas isso fez a gente perder muito tempo. Consegui ser rápido na chuva, mas perdemos muito tempo com a parada dupla. O fim de semana foi muito bom, mostramos que estávamos competitivos. Foi um fim de semana incrível.”
Felipe Baptista

“Acabamos pagando o preço por ter largado mais atrás. O Sylvio fez um bom quali, mas eu não e isso fez a gente largar umas cinco posições atrás. O primeiro stint foi um pouco complicado, recuperei no segundo e o Sylvio acabou sendo tocado e rodando na sua segunda entrada e a gente perdeu tempo. Porém a partir daí a gente fez uma corrida perfeita, ele fez um stint muito bom na chuva, mas o Allan estava inalcançável. No final eu guardei o carro para chegar e garantir mais um segundo lugar na classe e um sexto no geral. Estamos felizes com o vice-campeonato, foi um bom ano.“
Cacá Bueno

“A gente tinha um ritmo bom, parecido com os carros da frente. Tive algumas dificuldades em ultrapassar os carros nos meus stints e perdi um pouco de tempo. Acho que está ótimo esse segundo lugar na categoria. Era tudo o que a gente conseguiria, não dava para alcançar o Allan.”
Sylvio de Barros

“Foi muito bacana, tivemos um problema com o carro ontem que dificultou nosso rendimento. Já hoje fizemos o que sempre estamos acostumados e o começo da corrida foi fantástico. Saí de 14º para primeiro em poucas voltas foi muito legal. Eu gostei, mostramos o nosso potencial. Sabiamos que seria um pouco complicado com três pilotos, mas mesmo assim fizemos um pódio. Isso me deixa contente. “
Sergio Jimenez

“Estávamos muito bem, mudamos a estratégia logo no começo e no fim deu certo. Estiquei meu stint e começou a chover. Parei em um bom momento só que arrisquei sair com os pneus de chuva, mas não choveu o suficiente para molhar a pista e acabou dando errado. A gente tinha muita chance de vencer, acreditamos até a última volta e acabou não dando certo. Ficou um gosto de que podia ser melhor, mas foi bom. Terminamos em terceiro e quase fomos campeões.
Renan Guerra

“Foi gostoso, difícil, mas gostoso. Tive alguns problemas, mas foi um bom. O nosso maior troféu são os amigos que temos aqui. Todos se gostam, brigam na pista, mas se gostam. Isso é muito bonito e não tem dinheiro que pague. Me emocionei quando abracei o Léo, um menino que conheci aqui e fiz uma grande amizade. O Átila eu já conhecia desde os tempos do kart, estou feliz por eles. O Dener conseguiu agragar uma turma sensacional. O Nível aqui é muito acima, é muito bacana estar aqui”.
Paulo Totaro

“Tivemos o Vitor Gens como coach e trabalhamos muito durante o fim de semana. Corri em 2012 com ele e foi muito bacana, ele nos ajudou muito durante a etapa mostrando alguns atalhos da pista. É diferente ter um piloto profissional por trás da gente. Chegamos a andar em segundo na nossa classe e aí teve um problema com os pneus. Tivemos que ir nos adaptando e o César foi sensacional, nós nos completamos e isso é muito bom. Ser campeão no primeiro ano é sensacional. “
Nelsinho Marcondes

“Foi super bacana. Estou cada vez mais apaixonado pela categoria e pelo campeonato. Fazer essa parceria com o Zeca foi muito especial. É legal ver a evolução dele, nossa função é fazer eles evoluírem e vimos fazendo isso durante a etapa. Disputamos na frente, mas a estratégia acabou não funcionando. Mas o Zeca conseguiu uma boa ultrapassagem no final e nos deu esse pódio. “
Cesar Ramos

“A experiência foi muito legal. Esse evento é nota mil e o Cesar nos salvou de novo. Errei no começo, mas ganhei experiência. Ano que vem voltarei mais forte. “
Zeca Feffer

“Isso tudo é a realização de um sonho. A gente começou esse ano querendo conhecer a categoria e fomos crescendo durante o ano e entendo como ela funciona. Renovamos o patrocínio com a Michelin e a YPF e estaremos aqui novamente ano que vem. Estou muito feliz, agradeço meu filho e ao meu parceiro que guiou muito. “
Cesar Urnhani

“Foi complicado no começo. O Carlinhos teve um problema e largamos lá atrás. No começo ficamos preso no trânsito, mas depois conseguimos imprimir um bom ritmo. Estávamos atrás, mas aí veio a chuva e ajudou a gente. Por conhecer bem o carro consegui tirar uma boa vantagem do pessoal da frente. No último stint, voltei em terceiro e deu tudo certo no final. Fomos terceiro no campeonato, foi bastante divertido. “
Dennis Dirani

PARCEIROS