Garanta Seu Ingresso

Porsche GT3 Brasil terá três novos pilotos em Interlagos

A Porsche GT3 Brasil não pára de crescer. Três novos pilotos estarão presentes à terceira etapa do Porsche GT3 Brasil, que será disputada neste sábado (26 de maio) em Interlagos. O paulista Pedro Queirolo fará sua primeira corrida na categoria Cup, enquanto a Challenge terá as estreias do carioca Fábio Alves e do paulista Franco Giaffone.

Na Challenge, Fábio Alves pilotará o carro número 63, uma referência ao seu ano de nascimento. Ele pretende adquirir experiência e ser competitivo à medida que se familiariza com a Porsche Challenge. “O objetivo para Interlagos é me adaptar ao carro e à categoria”, afirma. “Quero tentar fazer uma corrida tranquila e ganhar quilometragem.” Ele avisa que o Porsche 911 GT3 Cup de motor de 3,6 litros e 420 cv de potência será o carro mais potente que já pilotou em corridas. “Agora a pedreira é maior. Os carros de fórmula não tinham essa potência toda, apesar de serem leves, com aerodinâmica que propicia um arrasto bem menor. Quanto à potência, é disparadamente o carro mais forte que já guiei até hoje”, declara.

Para estar apto a competir na categoria, Alves guiou em duas ocasiões, em Interlagos, um modelo da geração 996 com câmbio sequencial adaptado para simular as condições que encontrará na terceira etapa do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil. Essa foi a solução encontrada para suprir a ausência dos carros da categoria Challenge – como os da Cup, eles ainda estavam no navio, fazendo a viagem de volta das provas de abertura da temporada, realizadas em Portugal. “O Dener [Pires, diretor do campeonato] me disse que certamente as mudanças que encontrarei no carro com o qual correrei são para melhor”, afirma. Os pilotos Nonô Figueiredo e Beto Gresse lhe deram valiosas dicas durante essa preparação.

Fábio Alves disputou em 1983 o campeonato regional de Stock 5.000. Obteve seis das oito poles e terminou a temporada em terceiro lugar. Em 1984, passou para os monopostos do Brasileiro de Fórmula Fiat. De 1985 a 1987, competiu no Brasileiro de Fórmula Ford e foi vice-campeão paulista e carioca em 1987, ano em que pilotos como Gil de Ferran e Djalma Fogaça faziam parte da categoria. Fez, de 1995 a 1997, a Copa Corsa regional, sendo vice em 1996 e 1997.

Franco Giaffone, o outro estreante da Challenge, também tem larga experiência no automobilismo. Só que a maior parte dela foi nas competições na terra: ele foi um dos mais assíduos nomes do autocross no Brasil nas décadas de 1980 e 1990. “Comecei a correr no asfalto recentemente, em 2010, e estou na terceira temporada do Mini Challenge. Na verdade, procuro um desafio novo. Acho que facilita o fato de o Porsche ter tração traseira, algo que já enfrentei na época de terra. Farei esta prova para conhecer o evento, a estrutura, o carro”, conta. Franco afirma que a experiência nos Mini será útil em termos de traçado, mas pondera que o Porsche é completamente diferente. “É provável que na quinta-feira eu dê algumas voltas com o Max Wilson. O Rodrigo Hanashiro, que compete na Mini e é piloto consultor da Porsche, diz que o 911 GT3 Cup é grudado no chão e que ficarei impressionado.”

Na categoria Cup, o paulista Pedro Queirolo chega com grande experiência em carros do tipo Gran Turismo. Ele começou a correr com protótipos Spyder-VW em 2007, passando depois para as provas de endurance e de GT, nas quais pilotou modelos como Maserati Trofeo, Dodge Viper e Chevrolet Corvette. Em 2011, ele venceu as provas da GT3 Brasil realizada no circuito de rua do Anhembi, como preliminares da etapa brasileira da Fórmula Indy. “Minha expectativa é fazer uma estreia legal na Porsche. Será minha primeira experiência com o carro e acredito que seja bem bacana de se guiar”, afirma.

Apesar de já estar habituado a carros potentes, como o Chevrolet Corvette que pilota na Top Series, Queirolo não prevê uma estreia fácil: “Acho que será bem difícil, porque a Porsche Cup tem grandes pilotos e todos já estão bastante acostumados ao carro. Espero terminar as duas corridas e me divertir. Para se poder ter algum resultado, é preciso chegar ao fim da corrida”.

PARCEIROS