Garanta Seu Ingresso

A estreia de Drugovich no turismo

A nova geração do automobilismo brasileiro segue tendo os primeiros contatos com os carros de turismo na Porsche XP Private Cup.

Depois de Pietro e Enzo Fittipaldi andarem na categoria pela primeira vez na abertura da Endurance Series, que teve no mesmo fim de semana o jovem Gianluca Petecof fazendo sua estreia nos carros fechados em uma bateria de testes com o 911.

Goiânia reservou mais duas estreias nos carros de competição mais produzidos do planeta: Sergio Sette Câmara, piloto da Dragon na Fórmula E tripulou o #11 de Pedro Boesel nos 300km de Goiânia e conquistou um troféu ao fim da prova.

Outro que estreou no Brasil e nos carros de GT foi Felipe Drugovich, considerado por muitos o próximo Brasileiro na sucessão dos pilotos que chegarão na F1, Drugo atualmente é piloto da UNI-Virtuosi na Fórmula 2 e está a poucos pontos de obter a superlicença para poder competir na categoria máxima do automobilismo mundial.

“Foi uma ótima experiência para mim, primeira vez andando em um carro de GT e primeira vez andando em um autódromo no Brasil. Gostei muito de conhecer os carros fechados, me surpreendeu positivamente, um carro muito gostoso de guiar!” disse o piloto sobre sua experiência na Porsche Cup.

Drugovich no Autódromo de Goiânia (Foto: José Mario Dias).

Apesar de ter rasgado elogios ao carro e a categoria, os planos de Drugovich seguem sendo os carros de Fórmula. O piloto está focado na carreira nos monopostos, mas não descartou a possibilidade de correr nas provas de Endurance.

“Vontade não faltou de correr nesse fim de semana, o carro é muito legal e a pista também. Não achamos uma dupla disponível para correr, mas quem sabe na última etapa eu não consiga embarcar em algum carro.” completou Drugovich

O piloto volta para a Europa para a sequência da temporada da Fórmula 2 nos dois eventos restantes da temporada nos fins de semana de 04 de dezembro e 11 de dezembro.

A temporada de 2021 da Porsche Cup viu um fato inédito em sua história. Todos os três pilotos brasileiros com pontos o suficiente para a superlicença da F1: Pietro Fititpaldi, que é piloto reserva da equipe HAAS, Gianluca Petecof e Sergio Sette Câmara passaram pelos carros de competição mais produzidos do planeta.

PARCEIROS