Raijan Mascarello aparece no fim para ser pole na GT3 Cup em Interlagos

A pista era traiçoeira quando o quali da GT3 Cup começou. Edu Guedes escapou no Laranjinha, depois Paulo Sousa atravessou a freada no S do Senna. Os dois voltaram em segurança sem danos às suas máquinas. Mas a seguir SangHo Kim e logo na sequência André Gaidzinski escaparam no fim da reta principal, determinando o acionamento de bandeira vermelha com 9:09s na contagem regressiva.

Nelson Monteiro era o líder, à frente de Vina Neves e Ricardo Fontanari.
Com a pista reaberta, houve trânsito na saída dos boxes pois muitos pilotos sequer haviam registrado tempo.

Raijan Mascarello cravou 1:53s190 e foi para a liderança. Neves na sequência entrou na casa de 1:53s também. Monteiro era terceiro e Leo Sanchez o quarto. Cristian Mohr completava o top5.

A batalha pelo fim do top10 foi até a quadriculada, envolvendo Daniel Correa (em décimo), Lineu Pires, Ayman Darwich e Gustavo Farah.
Darwich entrou em sétimo, Correa conseguiu se segurar em décimo e Lineu vinha para fazer o suficiente e avançar ao Q2, até rodar na Junção. A bandeira amarela localizada foi acionada e os que vinham atrás também tiveram que tirar o pé. O carro #8 ficou em 11º, por apenas 0.020s
Em 12º, Farah garantiu a pole na Trophy.

Como Gaidzinski tinha tempo para participar do Q2 mas o carro #14 ficou danificado, apenas nove pilotos retornaram à pista para lutar pela pole.
Mascarello cravou 1:52.253 e foi para o topo da folha de tempos. Vina baixou a seguir e, na sequência, veio Daniel Correa e assumiu a liderança.
Também na casa de 1:52, Leo Sanchez era o quarto, uma posição à frente de Nelson Monteiro.

Nos três minutos finais a pista já se apresentava bem mais seca e, com essa condição, os pneus Michelin para piso molhado se deterioravam mais rápido. Assim ficou quase impossível para os pilotos baixarem suas marcas no final.

“Quase” por causa de Raijan Mascarello. Ele contrariou as expectativas e com os dois primeiros setores espetaculares cravou 1:51s278. Impôs respeitável margem de 0.871 sobre Correa e cravou sua primeira pole na categoria.

Vina Neves foi o mais veloz na classe Sport –mas o carro #20 trazia cinco posições de penalização de Curitiba. Assim, na prática, a pole ficou com Leo Sanchez, quarto mais rápido no quali.

A largada da GT3 Cup está marcada para 14h13.

O que eles disseram:
“Pista lisa é muito difícil e perigoso. Foi minha primeira vez nessa condição e estava receoso. Saí com o setup conservador para não arriscar nada e o que me ajudou muito acho que foi minha experiência na terra correndo de ‘gaiola’. Quem aprende bem na terra chega no asfalto e fica mais fácil”
Raijan Mascarello

“Trechos foram muito bons, eram trechos para fazer a pole. Foi por pouquíssimo tempo que não deu a pole na geral. Aproveitei bem a estratégia para aquecimento dos pneus e tirar o máximo na volta certa”
Vina Neves

“A pista secou um pouco para o final e isso foi vantajoso para mim. Gostei do acerto do carro, meu coach fez um trabalho muito bom deixando o carro ótimo. Muito feliz, acabei rodando na volta que poderia me colocar no Q2 por um pouco de ansiedade de baixar o tempo, mas muito feliz com meu desempenho pela primeira vez andando na chuva.”
Gustavo Farah

PARCEIROS