Felipe Massa acelera pela primeira vez na Porsche Cup e mostra que domina qualquer tipo de carro

Um dos principais nomes do esporte a motor nacional estreou na Porsche Cup para realizar sua primeira temporada completa no Brasil depois de 20 anos na Europa.

O nome Felipe Massa é familiar para qualquer fã do automobilismo. Afinal, Massa foi durante a última década o principal nome do automobilismo brasileiro. Dono de 269 largadas na principal categoria do esporte a motor mundial, Felipe viveu uma experiência completamente nova depois de 20 anos de carreira.

Aos 39 anos de idade ele fez sua reestreia nos carros de turismo, antes de acelerar pela abertura da Endurance Series, Massa havia feito pouco mais de quatro corridas nos turismos. E os carros de competição mais produzidos do planeta tiveram a honra de receber o piloto.

Mas, o que alguém com tanto tempo de automobilismo trouxe para os boxes da Porsche Cup?

Para entendermos melhor o “efeito” Felipe Massa, conversamos com três pessoas que viveram intensamente esse final de semana ao lado de Felipe.

Thiago Meneghel, o engenheiro responsável pelo carro de Massa e Lico Kaesemodel nessa etapa da Porsche Cup, se surpreendeu com a rápida adaptação do piloto ao carro. Em seu primeiro contato oficial com os 911 GT3 Cup, Felipe já figurava entre os mais rápidos do dia nos treinos de quinta-feira. No quali de sexta, andou próximo de pilotos que estão acostumados aos carros de turismo.

Porém, algo que surpreendeu muito Thiago foi a facilidade em trabalhar com Felipe.

“O Felipe é um cara muito experiente, ele facilita muito o trabalho dos engenheiros. Só de olhar os dados ele já sabe onde precisamos corrigir o carro. Alguns outros pilotos você precisa explicar cada um dos dados que aparece na tela. O Felipe batia o olho e sabia o que precisávamos mudar.” Disse Meneghel.

Outro estreante nas provas longas da Porsche era Cristian Mohr. O piloto da GT3 Cup, dividiu os boxes com a dupla Massa e Lico.

Mohr contou que a experiência de dividir os boxes com alguém como Massa é indescritível. Apesar de disputarem categorias diferentes, com carros distintos ele disse que foi uma experiência única compartilhar aquele espaço durante o final de semana. Inclusive foi possível aprender algumas coisas, mesmo que tenham sido poucas, por conta das diferenças das categorias.

Cristian pontuou também o fato de ter tido a chance de estar no mesmo box que Massa é algo que não irá esquecer tão cedo: “Nós tiramos fotos, gravamos vídeos. Dividir o box com alguém do tamanho que o Felipe Massa tem para o automobilismo nacional foi algo indescritível. E ainda deu para aprender uma coisinha ou outra, mesmo correndo em categorias diferentes.” Comentou o piloto do carro #3.

Por último, Lico Kaesemodel. O campeão overall e da Endurance Series em 2018 foi quem teve a experiência de dividir o carro com o vice-campeão mundial de Fórmula 1 em 2008.

Não foi a primeira vez em que Kaesemodel dividiu carro com um ex-piloto da F1. Lico já correu junto com Ricardo Zonta em outras oportunidades dentro da Endurance Series. O primeiro contato entre ele e seu novo parceiro aconteceu no Velocitta. E a química entre eles foi positiva. Segundo Lico, os dois se ajudaram muito dentro das pistas. Felipe com a experiência no automobilismo e Lico com seu conhecimento da categoria e do Porsche.

“Conheci o Felipe pessoalmente na quinta-feira, antes disso tivemos alguns contatos por telefone apenas. Já havia corrido em dupla com o Zonta, que também passou pela Fórmula 1. Nosso carro com certeza foi o mais falado do final de semana, o nosso box estava sempre cheio de gente. Mas, isso também gera uma cobrança extra nos resultados. Ele trouxe uma experiência enorme de anos na F1 para o Porschão.” Completou Lico, companheiro de Massa no #91.

Felipe e Lico terminaram a prova na terceira posição após os 300km percorridos no Velocitta. Por conta de uma punição de 20s os dois caíram para a sexta colocação ao final do dia.

Felipe aproveitou muito sua experiência nos carros de competição mais produzidos do planeta e rasgou elogios ao campeonato. “Gostei bastante, um evento superorganizado, queria dar parabéns ao Dener e toda a organização. Um lindo evento, um grande prazer estar aqui.”

A Porsche Cup volta a acelerar pela Endurance Series em Goiânia no dia 24 de outubro. Antes disso, a Sprint corre sua primeira rodada tripla em Interlagos no dia 3 de outubro e acelera também em Goiânia no dia 17 do próximo mês.

PARCEIROS