Garanta Seu Ingresso

Eduardo Menossi mostra que dedicação realmente traz resultados positivos

Piloto foi o maior pontuador da Sport 3.8 e nos contou um pouco mais sobre toda sua preparação durante a pandemia

A pandemia de coronavírus pode ter silenciado os motores da Porsche Cup pelos últimos cinco meses. Mas, Eduardo Menossi não deixou a chama de piloto se apagar de dentro do seu corpo.

Sem poder acelerar seu Porsche 911 GT3 Cup, Edu teve que procurar outros métodos para se manter preparado para voltar às pistas pela Porsche Cup.

Menossi manteve os treinos físicos de forma remota, treinando de uma pequena academia montada dentro da sua casa. Mas, aquilo não seria o suficiente para manter o ritmo e melhorar o desempenho nas pistas. Coisa que o piloto almejava para o ano de 2020.

Foi então que ele e Nelson Monteiro, também piloto do grid da Porsche Cup, começaram a andar de kart juntos. Os dois pilotos GT3 Cup começaram a travar batalhas no kart ao menos uma vez na semana, algumas semanas, chegaram a andar pelo menos duas vezes juntos na pista.

Os treinos no kart fizeram com que aquele espírito de competição aflorasse dentro de ambos, os treinos viraram competição entre eles para ver quem virava os melhores tempos das pistas.

Paralelamente aos treinos físicos e treinos de kart, Menossi também investiu horas preciosas em um grande aliado durante a pandemia: O simulador.

Com um setup montado dentro de seu escritório, o piloto do carro #85 passou a treinar com frequência nas pistas virtuais. O simulador foi trabalhado junto com Victor Genz, seu coach. Victor definia as voltas rápidas e Menossi trabalhava para chegar ao tempo de seu treinador.

Com a volta às pistas definida, Menossi e Genz intensificaram o trabalho para poder chegar ao final de semana da segunda etapa da Porsche Cup Brasil.

Os treinos opcionais de quinta animaram o piloto para o final de semana. Durante as atividades, Menossi chegou a figurar dentro dos melhores tempos da categoria, registrando o P2 na Sport 3.8.

Já a sexta-feira deixou a sensação de que o final de semana não seria como o esperado depois dos treinos de quinta. Com dificuldades no ajuste do carro, Menossi não se sentiu confiante com seus freios e classificou apenas na 18ª posição para sábado.

Com o carro na oficina, para acertar o freio antes das largadas de sábado, Edu Menossi foi jantar com seu coach na noite de sexta.

Genz mostrou para ele vídeos dele andando na chuva. Mas, até então, a previsão para a hora da corrida era de tempo seco. Os vídeos de seu coach andando na chuva reavivaram na memória de Menossi momentos de seu ídolo Ayrton Senna andando na chuva. O piloto brasileiro era dono de um talento nunca antes visto em condições de chuva.

“Lembro que na época do Senna, quando a corrida não se desenhava bem para ele, todos nós torcíamos para chuva, pois sabíamos que naquelas condições o Ayrton era imbatível. Eu, pessoalmente nunca havia corrido na chuva, apenas com a pista melada (quando a pista não está nem seca e nem completamente molhada) e não havia me dado bem.”

No sábado cedo, enquanto dirigia até Interlagos, Menossi viu que o tempo aparentava chuva e se animou. Seria para ele, a primeira experiência pilotando sob chuva.

Os carros estavam já em posição para largar e ainda usando pneus slick, quando a chuva apertou e fez com que todos mudassem aos intermediários lá com os carros na reta de Interlagos.

Com a confiança nas alturas por conta do jantar e da nova experiência, Edu se destacou na chuva. Largando de P18, o piloto foi um dos principais escaladores de pelotão na primeira bateria da GT3 Cup terminando na sétima colocação.

Com a pontuação das duas baterias de sábado, Menossi agora é o vice-líder de sua categoria.

Edu garante que correr na chuva em Interlagos foi uma das melhores experiências da sua vida e que espera poder repetir mais vezes.

Resultado surpreendente segundo o próprio piloto que espera continuar evoluindo e tendo novas experiências dentro do automobilismo.

PARCEIROS