Bruno Souza e Marcos Riffel vencem em Daytona e Riffel garante o título da Sprint Challenge

Piloto do carro #30 se sagrou o primeiro campeão da categoria com um segundo e uma vitória na última etapa da temporada

Chega ao fim a primeira temporada do Porsche Esports Sprint Challenge e Marcos Riffel se sagra o grande campeão da jornada inicial.

Seis pilotos chegaram em Daytona para a última etapa do campeonato com chances reais de título, mas prevaleceu o líder do campeonato e maior vencedor de baterias ao longo da temporada, Marcos Riffel.

Riffel praticamente garantiu seu título ao receber a bandeirada final da primeira bateria da noite na segunda posição. Ele queria mais. Bastava completar a segunda bateria para se sagrar campeão. Porém, Riffel queria fechar o ano com chave de ouro e foi em busca da vitória na segunda bateria.

Após uma bateria movimentada com diversas trocas de posição, principalmente entre os três primeiros colocados, prevaleceu a estrela do campeão. Riffel recebeu antes de todos os outros competidores a última bandeira quadriculada da temporada inaugural da Sprint Challenge.

E tivemos emoção até após o final da prova, pois o vice-campeão só foi conhecido depois de analisar os critérios de desempate. Raphael de Leo e Bruno Souza empataram em pontos e a segunda colocação ficou com Souza por conta da vitória na primeira bateria em Daytona.

Marcos Riffel conquistou junto com o título uma clínica de pilotagem Porsche Track Experience, com carros da marca em um autódromo, além disso também ganhou uma viagem para o museu da Porsche, na Alemanha, além de vaga garantida para a temporada 2021 da Porsche Esports Carrera Cup. Riffel garantiu também 500 dólares americanos em créditos no iRacing.

Com o vice-campeonato, Bruno Souza também ganhou a clínica de pilotagem Porsche Track Experience, além de 300 dólares americanos.

Raphael De Leo ganhou 200 dólares americanos em créditos no iRacing depois da conquistar a terceira posição no campeonato.

O Porsche Esports Program Brasil é uma iniciativa da Porsche Brasil em conjunto com a Porsche Cup Brasil, com patrocínio da TAG Heuer e parceria técnica com o IRB e-Sports.

As corridas:

Diego Freitas cravou um quali de altíssimo nível e largou da pole-position na primeira bateria da noite. Seu companheiro de primeira fila foi Marcos Riffel, o líder do campeonato.

Largada foi movimentada em direção à temida curva um de Daytona. Freitas manteve a liderança, Riffel caiu para terceiro com uma largada conservadora para não correr riscos. Bruno Souza que assumiu a vice-liderança já atacava o líder.

Líder e vice-líder abriram a segunda volta disputando porta com porta, Freitas manteve a liderança momentânea.

Rapha De Leo, o vice-líder do campeonato, tentou o ataque para cima de Bruno Bonagura. O ataque não teve sucesso e resultou na perda de uma posição. No momento ele era quinto colocado e caiu para sexto.

Volta quatro e Bruno Souza mergulha pela liderança. A manobra foi bem executada e rendeu a liderança para Souza.

Batalha quente também na parte intermediaria do pelotão. Signoretto e Lorenzo Roth disputavam a 13ª posição.

Doze minutos de bateria e toque entre Bonagura e De Leo. Lucas Alves também se envolveu no incidente. Quem se beneficiou com a confusão foi Marcos Riffel que ganhou um respiro na corrida e no campeonato.

Com metade da prova já disputada, Bruno Souza liderava com Diego Freitas em segundo. Completavam o top5: Marcos Riffel, Bruno Bonagura e Theo Manna.

Riffel ultrapassou Freitas para assumir a segunda posição da bateria.

10 minutos para o encerramento da primeira bateria e Riffel tirava a diferença para o líder de forma rápida. Uma vitória na primeira bateria faria Riffel colocar uma das mãos na taça.

Rapha De Leo teve que pagar o drive-thru pelo incidente no princípio da prova. Ele caiu para o fundo do pelotão e praticamente deu adeus a disputa pelo título.

Menos de cinco minutos para o fim da bateria e os três líderes eram separados por menos de 1s. A disputa pela vitória seria quente no final da corrida.

Última volta da primeira bateria e Riffel abriu de vez o ataque para a primeira posição. Diferença para o líder era de 0s5.

Vitória de Bruno Souza na primeira bateria. O carro 100 triunfou contra Riffel que fechou em segundo e Diego Freitas fechou na terceira posição.

Com a inversão das 10 primeiras posições do grid quem largou da posição de honra na bateria final da temporada seria Lorenzo Roth.

Roth manteve a primeira posição em nova largada tranquila depois da curva um. Lucas Alves ameaçava a liderança enquanto sofria ataques de Alexandre Sene.

Lorenzo Roth escapou na curva um e perdeu diversas posições. Com isso, Alves assumiu a liderança.

Na volta seguinte Sene conseguiu o ataque na curva um e assumiu a liderança da prova. Ainda na volta que ele havia assumido a liderança, Sene sofreu o slow-down e viu seu carro cair para a nona posição. Com isso, Lucas Alves reassumiu a liderança.

O líder do campeonato, Riffel, já aparecia na quarta posição na bateria. Ele largou da nona posição com o grid invertido.

Mudança geral na dianteira da prova. Lucas Alves foi tocado e perdeu diversas posições. Eraldo Silva também sofreu com o toque e Felipe Iazzetti assumiu a liderança. Riffel já era o segundo colocado.

Riffel assumiu a liderança na metade da prova e já havia conquistado uma diferença confortável de cerca de 1s para Iazzetti.

Iazzetti reassumiu a liderança da prova. Com menos de 15 minutos para a bandeirada final do campeonato, Riffel era segundo, Bonagura terceiro Roth o quarto e Lucas trindade o quinto.

Three-wide entre os três primeiros colocados e Riffel levou a melhor para reassumir a liderança. Bonagura ficou um pouco para trás dos outros dois líderes.

Cinco minutos para o final da Sprint Challenge e Rapha De Leo, na quarta posição, ia garantindo seu vice-campeonato. A punição de Lucas Trindade poderia dar a Bruno Souza o vice-campeonato. A disputa seria até a última reta para conhecermos o vice-campeão.

Riffel abriu a última volta do campeonato com 1s de frente para Bruno Bonagura. Último giro em Daytona para Riffel receber a bandeirada final e o título da Sprint Challenge.

Fim de temporada na Sprint Challenge e Marcos Riffel é o grande campeão da temporada 2020. Bruno Bonagura fechou a segunda bateria em segundo e Rapha De Leo em terceiro.

O vice-campeonato seria decidido pelos critérios de desempate. Com a vitória da bateria 1, Souza ficou com a segunda colocação no campeonato.

“Foi bem intensa essa bateria. No começo sofri um “porta com porta” e tive que segurar com tudo para evitar um acidente maior. Perdi a posição para o Riffel e tive que manter a calma e seguir no vácuo dos primeiros. Consegui garantir esse segundo lugar e fechar a temporada bem.”
Bruno Bonagura

“Parabéns pro Riffel pelo campeonato. A segunda bateria foi mais uma de sobrevivência depois de uma primeira bateria ruim. Foi uma corrida que estava muito preocupado com as contas para ver se garantiria o vice-campeonato. Feliz pelo pódio que consegui e esperar o resultado final para saber onde terminamos no campeonato.”
Raphael De Leo

“Estou sem ar ainda! Que emocionante esse final de campeonato. Consegui me recuperar de uma etapa não muito boa em Silverstone. Consegui uma volta que me permitiu largar por dentro no quali. Daytona é uma pista difícil, o vácuo deixa os carros muito próximos. Foi só trazer o carro para casa e garantir a vitória na primeira bateria”
Bruno Souza

“Preciso tirar meu passaporte! Primeira vez que vou sair do Brasil. Cheguei no AV quando era super amador ainda. Só tenho que agradecer a todos que me apoiaram nesse campeonato. Estou sem palavras ainda. É meu primeiro título de expressão no iRacing. Depois de quase desistir na primeira etapa, acreditei que poderia ser diferente e essa dedicação me colocou aqui nessa posição de poder ser campeão.”
Marcos Riffel

Corrida 1:

1.Bruno Souza
2.Marcos Riffel
3.Diego Freitas
4.Theo Manna
5.Bruno Bonagura
6.Felipe Iazzetti
7.Eraldo Silva
8.Alexandre Sene
9.Lucas Alves
10.Lorenzo Roth

Corrida 2:

1.Marcos Riffel
2.Bruno Bonagura
3.Raphael De Leo
4.Diego Carmo
5.Bruno Souza
6.Felipe Iazzetti
7.Lucas Dornella
8.Lorenzo Roth
9.Diego Freitas
10.Lucas Werle

Campeonato (top10):

1.Marcos Riffel – 321
2.Bruno Souza – 276
3.Raphael De Leo – 276
4.Bruno Bonagura – 256
5.Felipe Iazzetti – 235
6.Diego Freitas – 215
7.Eraldo Silva – 194
8.Rogério Neto – 194
9.Lucas Trindade – 163
10.Carlos Amorim – 162

 

PARCEIROS