Garanta Seu Ingresso

Sylvio com seu “Mach 5” confirma favoritismo e vence em uma corrida disputadíssima

Demorou, mas a Porsche Challenge passou a ter, a duas provas do final da temporada, um favorito ao título. Sylvio de Barros e seu Porsche pintado como o “Mach 5” do personagem Speed Racer dominaram a categoria em Curitiba. Sylvio fez o melhor tempo nos treinos livres, largou na pole position, liderou de ponta a ponta e fez a volta mais rápida da prova. Como se não bastasse, Sylvio ainda viu Fernando Barci, único piloto que o ameaçava diretamente na briga pelo título, abandonar logo no começo da prova.

Como se esperava depois do equilibrado treino classificatório (os dez primeiros colocados fizeram tempos dentro de uma margem de 6 décimos de segundo), a corrida foi extremamente disputada e teve muitos incidentes. Na primeira volta, Ricardo Cosac saiu da pista e bateu no guard-rail após receber uma batida de Marcello Sarcinella. Na segunda, Fernando Barci e Gilberto Farah também colidiram, com ambos tendo que abandonar. Outras pequenas colisões fizeram Carlos Ambrósio e Rodolfo Ometto Rolim terem os para-choques traseiros de seus carros danificados. O de Ambrósio se soltou do carro, mas o de Rodolfo ficou dependurado, levando a direção de prova a mostrar-lhe bandeira preta com círculo laranja, que obriga o piloto a parar no box para corrigir o problema.

Enquanto tudo isso acontecia, o paranaense Guilherme Ribas progredia do sexto lugar, posição em que completou a primeira volta, para o segundo na 11ª passagem. Ribas passou a aproximar-se cada vez mais de Sylvio, deixando no ar a expectativa de uma batalha pela vitória nas voltas finais. A diferença entre os dois chegou a ser de menos de dois segundos e Sylvio entrou na última volta com uma vantagem pequena, mas que dificilmente poderia ser descontada em condições normais. Na saída do “S de alta”, a apenas duas curvas da bandeirada, quebrou-se a ponta de eixo dianteiro esquerdo do carro de Ribas e ele bateu na barreira de pneus, sem sofrer ferimentos.

Carlos Ambrósio recebeu a bandeirada em segundo lugar e assumiu a vice-liderança do campeonato. Sérgio Maggi terminou em terceiro (seu melhor resultado na Porsche Challenge) depois de largar em 14º lugar e fazer uma excelente prova de recuperação. Daniel Schneider, em quarto, também comemorou muito o resultado – na prova anterior, no Rio de Janeiro, ele havia abandonado na primeira volta. Omar Camargo Neto finalizou sua segunda corrida na Challenge em quinto lugar, com Alan Turres, o “grande Turres”, completando os seis primeiros com direito a subir ao pódio.

“Foi um final de semana muito bom. Fui melhorando ao longo dos treinos e, na corrida, meu desafio foi manter a concentração. O Gui (Guilherme Ribas) chegou muito perto e tive que aumentar o ritmo para ficar na frente dele”, comemorou o vencedor.

A próxima prova da Porsche Challenge será realizada no dia 27 de novembro, como preliminar do GP do Brasil de Fórmula 1.

Resultado da prova 9 da Porsche Challenge:

1) 005-Sylvio de Barros, 19 voltas em 27:01.247, média de 155,891 km/h
2) 018-Carlos Ambrósio, a 11.438
3) 069-Sérgio Maggi, a 12.015
4) 077-Daniel Schneider, a 17.745
5) 045-Omar Camargo Neto, a 18.396
6) 099-Alan Turres, a 30.573
7) 009-Edu Guedes, a 31.659
8) 016-Ludovico Pezzangora, a 44.627
9) 011-Johnny Freire, a 44.781
10) 057-Jorge Borelli, a 59.256
11) 008-Rodolfo Ometto Rolim, a 1:03.352
12) 025-Guilherme Ribas, a 1 volta (abandono)
13) 033-Flávio Rietmann, a 1 volta
14) 046-Fernando Barci, a 15 voltas (abandono)
15) 007-Tommy Soubihe, a 17 voltas (abandono)
16) 081-Gilberto Farah, a 18 voltas (abandono)
17) 015-Ricardo Cosac, a 19 voltas (abandono)
Desclassificado: 13) 012-Marcello Sarcinella, a 1 volta
Melhor volta: Sylvio de Barros, 1:23.547, média de 159,216 km/h
Carros 009, 015 e 046 punidos com acréscimo de 20 segundos por queima de largada
Carro 012 desclassificado por atitude antidesportiva contra carro 015

Classificação do campeonato após 9 provas
1) Sylvio de Barros, 113 pontos; 2) Carlos Ambrósio, 89; 3) Fernando Barci, 87; 4) Gui Affonso, 68; 5) Rodolfo Ometto Rolim, 67; 6) Eduardo Azevedo, 60; 7) Sérgio Maggi, 58; 8) Gilberto Farah, 57; 9) Edu Guedes, 50; 10) Daniel Schneider, 45; 11) Johnny Freire, 36; 12) Marcelo Stallone, 35; 13) Tommy Soubihe, 31; 14) Amilcar Collares, 28; 15) Carlos Silveira, 26; 16) Alan Turres, 24; 17) Guilherme Ribas, 21; 18) Cristiano Piquet e Ipe Ferraiolo, 20; 20) Jorge Borelli, 19; 21) Ludovico Pezzangora (Itália), 17; 22) Zeca Feffer, 15; 23) Paco Salcedo (México), 14; 24) Omar Camargo Neto, 13; 25) Flávio Rietmann, 11; 26) Armando Marracini, 10; 27) Ricardo Ricca, 7; 28) André Lara Resende, 3; 29) Vitor Scheid, 3; 30) Ricardo Cosac, 3; 31) Kide Aranha, 3; 32) Bernardo Parnes, 2; 33) Beny Lago, 1; 34) Marcello Sarcinella, Paulo Moreno (Portugal), Rodrigo Pessoa e Joca Silveira, sem pontos.

PARCEIROS