Marçal Müller é campeão da Carrera Cup 4.0 e Mello da GT3 Cup 4.0 em dia de vitória de Ricardo Baptista

O domingo de preliminar do GP Brasil de F1 foi um dia de conquistas inéditas na categoria dos carros de competição mais produzidos no planeta. Marçal Müller terminou a corrida em quinto na Carrera Cup 4.0, o que bastou para entrar na história da Porsche Cup Império como o primeiro piloto a “unificar” os títulos. O gaúcho é o único em 15 temporadas a vencer os campeonatos nas duas categorias principais (em 2017 foi campeão na classe Challenge).

O triunfo do competidor do carro #544 com as cores da Patrus Transportes foi coroado pela prova mais emocionante do ano. Enquanto Marçal fez uma prova relativamente tranquila em quinto, os quatro primeiros duelaram da luz verde à bandeira quadriculada. Melhor para Ricardo Baptista, que cruzou a linha à frente de Werner Neugebauer, Alceu Feldman e Miguel Paludo.

Com o sétimo lugar no geral, Rodrigo Mello venceu a classe GT3 Cup e também o campeonato. Foi seu primeiro título de sprint na Porsche Cup Império.
A Porsche Cup Império retorna a Interlagos em duas semanas. O encerramento da Endurance Series acontece no dia 30 no marco do Sportscar Together Day, reunião de carros de corrida, de rua e modelos históricos da Porsche.

A corrida

Rodrigo Mello largou na pole position devido ao sorteio previsto no regulamento que determinou a inversão dos sete primeiros colocados para a formação do grid de largada da prova decisiva do campeonato. Favoritos ao título, Muller saiu em quarto e Marcel Coletta em sexto.

Ainda no início da prova, Eloi Khouri foi tocado por outro competidor e acabou rodando no fim da reta oposta. Seu carro desgovernado colidiu com Marcel Coletta, causando o abandono de ambos na prova -e abrindo caminho para o título de Müller no processo.

No início da terceira volta, Ricardo Baptista fez a ultrapassagem em Alceu Feldmann e assumiu a liderança da prova. Simultaneamente, Neugebauer superava Marçal e pulava para a terceira posição. Na reta oposta, Miguel Paludo veio no embalo de Werner e também ultrapassou Müller, que àquela altura já havia sido avisado pelo rádio do abando de Coletta.

O top5 ao término da terceira passagem tinha: Baptista, Feldmann, Neugebauer, Paludo e Müller. Na GT3, Rodrio Mello era o líder com Sylvio de Barros em segundo, Marcelo Franco em terceiro e Maurizio Billi em quarto.

Com dez minutos de prova, Baptista seguia comandando o pelotão com um segundo de vantagem sobre Feldman. Neugebauer vinha em terceiro sofrendo forte ataque de Paludo. Marçal seguia em quinto lugar, a uma prudente distância dos quatro primeiros.

Na volta sete, Pedro Aguiar superou Rodrigo Mello e assumia a sétima posição geral da prova. Mello seguia na liderança da GT3, com Sylvio de Barros em segundo e Marcelo Franco em terceiro.

Restando oito minutos para o término da prova, Feldmann se aproximava de Baptista na luta pela liderança da prova e trazia junto Werner e Paludo.
Com menos de cinco minutos para o final da corrida, Feldmann tentou a ultrapassagem em cima de Ricardo, colocando de lado na entrada do “s” do Senna. Lado a lado na reta oposta, Baptista defendeu bem a posição e manteve a ponta. Werner e Paludo se aproximavam da disputa deixando a briga pela vitória totalmente aberta.

Na penúltima volta, Alceu fez nova tentativa de superar Ricardo, que defendeu bem a posição e manteve a ponta. Werner tentou se aproveitar da situação e emparelhou o carro #8 com Alceu, buscando a segunda colocação. Paludo, que vinha em quarto lugar, fez grande manobra e superou os dois concorrentes à sua frente, pulando para o segundo lugar.

Na última volta, quando as posições pareciam sacramentadas, Miguel tentou a ultrapassagem em cima de Ricardo e acabou espremido para fora da pista. A manobra garantiu a vitória de Baptista e fez Werner e Feldmann assumirem a segunda e terceira posições, respectivamente. Paludo finalizou a prova em quarto lugar e Marçal em quinto, posição que lhe garantiu o titulo da temporada.

Na GT3, Mello venceu a prova e garantiu o troféu de campeão. Sylvio foi o segundo, Franco o terceiro, Billi o quarto e Adalberto Baptista o quinto.

O que eles disseram:
“Fiz uma campanha muito constante, usei a cabeça desde o início do ano. Essa última etapa não teve um resultado expressivo, mas finalizar o campeonato sendo campeão é muito gratificante depois de começar o fim de semana com tantos problemas. Estou muito feliz, vamos com tudo no ano que vem defender o título.”
Marçal Müller

“Fiz uma prova totalmente pensada. Procurei não me empolgar largando da pole geral e não quis ser combativo após a largada, pois isso só poderia me prejudicar. Administrei a corrida, mas o alarme começou a apitar no fim e isso trouxe mais emoção ainda. Foi uma temporada de alto e baixos e muito difícil, devido ao nível dos meus adversários. É um campeonato que eu celebro muito, pois foi realmente muito difícil.”
Rodrigo Mello

“Foi muito legal, muito emocionante conseguir duas vitórias nas últimas três corridas. Foi muito legal, o carro estava muito bom no começo e consegui passar o Alceu no início. Depois do toque no Alceu meu carro ficou muito difícil de dirigir, mas no final deu tudo certo.”
Ricardo Baptista

Resultados

1. Ricardo Baptista, 17 voltas em 27:57.385
2. Alceu Feldmann, a 0.677
3. Miguel Paludo, a 1.444
4. Marçal Müller, a 7.011
5. Rodrigo Mello*, a 9.298
6. Pedro Aguiar, a 9.977
7. Sylvio de Barros*, a 11.291
8. Marcelo Franco*, a 18.058
9. Werner Neugebauer, a 0.287
10. Maurizio Billi*, a 20.883
11. Adalberto Baptista*, a 31.646
12. Rodolfo Toni*, a 33.118
13. Marcelo Tomasoni*, a 33.306
14. Carlos Ambrósio*, a 59.140
15. Pedro Marreiros*, a 59.307
16. Renato Braga, a 11 voltas
17. Eduardo Azevedo, a 15 voltas
18. Marcel Coletta, a 17 voltas
19. Eloi Khouri, a 17 voltas
20. Lico Kaesemodel, DQ

* GT3 Cup 4.0

 

PARCEIROS