Garanta Seu Ingresso

“Uma vitória assim dá confiança para as próximas!”

A etapa curitibana apresentou o nono e o décimo vencedores diferentes da temporada 2015 da Porsche GT3 Cup, um recorde nos dez anos da categoria. Daniel Schneider, o primeiro piloto egresso da categoria Challenge a vencer uma prova sem grid invertido na Cup, e Pedro Queirolo, que não subia no mais alto degrau do pódio desde 2013, deram as suas declarações.

Declarações dos pilotos

“Não sabia que era a primeira vitória de um piloto da Cup Sport sem grid invertido e fico contente. Difícil dizer que estou no mesmo clube dos quatro bicampeões com quem subi no pódio. Uma coisa é ganhar uma corrida, outra é ganhar o campeonato. Acho que consegui chegar perto deles na questão da velocidade. O grid tem todo muito muito próximo, e a diferença deles é a constância e a experiência. Uma vitória assim, sem dúvida, dá confiança para as próximas.” – Daniel Schneider, vencedor da prova 1 da Cup e líder da Cup Sport

“A largada foi calma. Na hora que apagou a luz percebi que o Rodolfo demorou um pouquinho para acelerar e consegui a ultrapassagem. Durante a prova procurei fazer três ou quatro voltas de classificação no início para aproveitar o máximo do pneu e ganhar diferença. Depois o Rosset passou o Rodolfo e veio se aproximando. Sabia que seria muito difícil ele passar porque leva mais peso que eu. Então procurei manter a calma. É muito difícil dentro do carro segurar a pressão de dois bicampeões atrás fungando no cangote. Mas consegui manter a tranquilidade, dei tudo que eu podia e felizmente deu certo. Foi minha segunda vitória na categoria e espero que outras venham na sequência.” – Pedro Queirolo, vencedor da prova 2 da Cup

“Foi um ótimo fim de semana, descontei bastante pontos. O ideal seria se o Junior não marcasse tantos pontos também, mas ele guiou muito aqui e mereceu. Veio na minha marcação e está fazendo um ótimo campeonato. Queirolo defendeu bem a liderança na corrida 2, assim que meu pneu começou a desgastar vi que não ia conseguir atacar com mais peso. Ele também não errou e mereceu a vitória. Aí chegou um momento que eu vi o Junior atrás de mim e não ia correr o risco de dar a vitória de bandeja para ele… O Paludo já estava fora e assim fomos até o final.” – Ricardo Rosset, novo vice-líder da Cup

“A etapa foi excelente, pena que não deu para alcançar a vitória. Arrisquei um acerto na segunda corrida, mas quem na verdade estava com o melhor ajuste foi o Rosset. Depois do choque entre o Ricardo Baptista e o Paludo, percebi que estava bom para o campeonato e passei a tentar acompanhar o Rosset e o Queirolo. Fiz um sacrifício para conseguir andar com eles. Queirolo fez uma excelente prova e mesmo se defendendo do Rosset era muito rápido, está de parabéns pela vitória. Pensando no campeonato, faço um balanço positivo e saio de Curitba mais feliz que eu cheguei.” – Constantino Jr., líder da Cup geral

“Deu para segurar bastante as posições na corrida 2 e foi um dia muito legal. Curitiba sem dúvida é muito especial, se um dia essa pista fechar vai fazer muita falta para a gente.” – Maurizio Billi, líder da Cup Master

“Levei um pouco de sorte na largada e vim atacando. Tinha um ritmo bom, consegui ver os primeiros brigando. Foi um sufoco até chegar no Sylvio de Barros e brigar pelo pódio. Trabalhei bastante, mas valeu a pena.” – Lico Kaesemodel, 13 posições conquistadas na prova 2 da Cup

“Fui penalizado. Tive que trocar três pneus. Ia largar em oitavo depois de fazer o segundo tempo no Q1, mas acabei saindo em 17º pela punição. Então eu tinha os pneus melhores que os carros da frente e estava conseguindo vir rápido e fazer as ultrapassagens.” – Sylvio de Barros, autor do maior número de ultrapassagens na prova 1 da Cup (seis)

PARCEIROS