Garanta Seu Ingresso

Sylvio de Barros aguenta pressão e triunfa na sétima etapa da Porsche Challenge

Sob uma forte pressão durante toda a corrida, Sylvio de Barros venceu neste sábado a sétima etapa de 2012 da Porsche Challenge no Autódromo Internacional de Curitiba, em Pinhais (PR). O campeão de 2011 não teve descanso: completou a prova apenas 0s869 à frente de Rodolfo Ometto e 1s052 à frente de Daniel Schneider, que também protagonizaram um duelo particular até a última volta.

Uma boa largada fez Sylvio, segundo colocado no grid, assumir a liderança: “Fui percebendo ao longo da reta que eu estava bem posicionado”, disse. “O Ipe Ferraiolo estava mais preocupado com o Schneider do que comigo. Daí decidi apostar na frenagem. Segui a referência do Ipe. Pensei: ‘Só vou frear depois que ele frear’. Vi o espaço no lado esquerdo, mergulhei, tomei um toque do Rodolfo, mas deu para segurar o carro. Realmente a corrida foi ganha ali.”

O líder do campeonato afirmou ter sido ajudado pela luta entre Ometto e Schneider: “O Rodolfo fez uma pressão em mim e contornava a última curva mais rapidamente que eu. O Schneider pressionou o Rodolfo e me ajudou bem. Nesta corrida, estava com uma cabeça conservadora. Mas tive a oportunidade na largada e não a desperdicei”.

Ometto, que vinda tendo uma temporada difícil, largou em sexto e também se deu bem no começo. “Vi que o Johnny Freire perdeu o ‘timing’ da largada, consegui jogar o carro para dentro, porque eu largava por fora. Ainda bem que tomei essa decisão”, declarou. “Houve fortes frenagens, e não consegui evitar o toque no Sylvio. Mantive meu ritmo, mas foi um sufoco, porque o Schneider me deu um trabalhinho no fim e os pneus já estavam mais desgastados.Foi uma corrida limpa. O Schneider poderia ter abusado um pouco mais, mas ele tomou uma decisão sábia de segurar a onda.” Neste fim de semana, a categoria fez uma brincadeira com Rodolfo: no aerofólio traseiro, onde normalmente é colocado o nome do piloto, havia um “Rodou, fofo”.

Schneider explicou o motivo pelo qual passou pela área de escape na primeira curva: “Fiquei com medo de bater, pois havia muita gente ali, e preferi sair pela grama. Achei isso até mais seguro do que tentar voltar e colocar tudo em risco”. O vice-líder do campeonato também considerou a disputa com Ometto muito limpa. Ele ainda contou algo inusitado: “A única coisa que me atrapalhou foi o fato de a câmera onboard ter caído no meu pé. Fiquei várias voltas tentando chutá-la, pois estava com medo de ela travar o freio”. Schneider, que, no domingo passado, machucou a mão e o braço esquerdos em uma queda de skate, disse ter se concentrado tanto na disputa que não conseguiu pensar em mais nada.

A quarta posição foi obtida por Gui Affonso, que tirou proveito de rodadas de Eduardo Azevedo e Ipe Ferraiolo na sétima volta. Ferraiolo era o pole position, mas completou a primeira volta em sétimo, recuperou-se um pouco e chegou a ser quinto, mas mais tarde abandonou a prova.

Johnny Freire, quinto, liderou um pelotão compacto que teve também Gilberto Farah, Tommy Soubihe e, até a primeira curva da última volta, Franco Giaffone.

A próxima etapa do Porsche GT3 Cup Challenge Brasil será realizada em Interlagos, junto com o GP do Brasil de Fórmula 1, em 25 de novembro.

Resultado final da nona corrida de 2012:

1) 1-Sylvio de Barros, 19 voltas em 27:07.511
2) 8-Rodolfo Ometto, a 0.869
3) 77-Daniel Schneider, a 1.052
4) 4-Gui Affonso, a 13.740
5) 11-Johnny Freire, a 22.460
6) 81-Gilberto Farah, a 22.708
7) 7-Tommy Soubihe, a 23.556
8) 63-Fábio Alves, a 28.818
9) 10-Carlos Silveira, a 34.879
10) 19-Franco Giaffone, a 40.349
11) 18-Carlos Ambrósio, a 54.371
12) 55-Caê Coelho, a 57.622
13) 25-Guilherme Ribas, a 1:11.681
14) 31-Marcelo Sant’Anna, a 1 volta
15) 03-Armando di Nardo, a 1 volta
16) 82-Renato Benedetto, a 2 voltas
17) 16-Ludovico Pezzangora, a 2 voltas
18) 88-Eduardo Azevedo, a 7 voltas
19) 00-Ipe Ferraiolo, a 8 voltas

Melhor volta: Sylvio de Barros (1), 1:24.814 (média de 156,837 km/h), na 8ª volta

Classificação do campeonato após nove provas:

1) Sylvio de Barros, 111 pontos; 2) Daniel Schneider, 99; 3) Gui Affonso, 90; 4) Gilberto Farah, 75; 5) Johnny Freire, 63; 6) Ipe Ferraiolo, 57; 7) Eduardo Azevedo, 54; 8) Rodolfo Ometto, 49; 9) Carlos Silveira, 49; 10) Franco Giaffone, 44; 11) Alan Turres, 40; 12) Edu Guedes, 40; 13) Carlos Ambrósio, 37; 14) Tommy Soubihe, 35; 15) Fábio Alves, 35; 16) Guilherme Ribas, 31; 17) Peter O’Donnell, 30; 18) Marcelo Stallone, 29; 19) Renato Benedetto, 12; 20) Caê Coelho, 12; 21) Amilcar Collares, 10; 22) Ludovido Pezzangora, 10; 23) Jorge Borelli, 9; 24) Marcelo Sant’Anna, 9; 25) Armando Di Nardo, 5; 26) Vitor Scheid, 4; 27) Marcello Sarcinella, 3; 28) Flávio Rietmann, Rogério Wehmuth, Tracy Krohn e Esio Vichiese, sem pontos.

PARCEIROS