Garanta Seu Ingresso

Depois de provas disputadíssimas, Constantino e Rosset vencem no Velopark

Constantino Júnior na primeira, Ricardo Rosset na segunda. As provas do Porsche Cup realizadas no circuito Velopark ofereceram grandes emoções ao bom público que compareceu ao autódromo localizado em Nova Santa Rita (RS). Os dois primeiros colocados no campeonato ficaram com os lugares mais altos do pódio, mas pilotos como Ricardo Baptista, Clemente Lunardi e Tom Valle também se destacaram.

A primeira prova teve forte ritmo do começo ao fim. Constantino liderou de ponta a ponta, mas em momento algum teve tranquilidade, pois Rosset pressionou-o durante toda a prova − a diferença entre eles na bandeirada foi de apenas 0,6 segundo. Atrás deles, Ricardo Baptista e Clemente Lunardi protagonizaram outra disputa eletrizante pelo terceiro lugar. A vantagem final foi de Lunardi, que ultrapassou Baptista nas voltas finais.

Daniel Paludo terminou em quinto e Marcel Visconde, em sexto, depois de levar a melhor em uma briga que também teve a participação de Marcelo Franco, Maurizio Billi e Roberto Posses. Posses chegou a ficar em sexto, mas um pneu furado fez com que ele fosse o único piloto a não completar a prova.

Com o grid da segunda prova sendo formado com a inversão dos oito primeiros colocados na primeira, Maurizio Billi e Marcelo Franco dividiram a primeira fila. Antes da primeira curva, entretanto, um toque entre ambos iniciou uma série de colisões e pequenas batidas. Franco ficou fora da prova e Billi caiu para as últimas posições. Na confusão, Constantino rodou e caiu para o 14º lugar. Daniel Paludo liderou as primeiras voltas e depois foi ultrapassado por Lunardi. Depois, Rosset, que conseguiu completar a primeira volta em terceiro, assumiu a liderança.

Enquanto isso, Constantino empreendeu uma reação sensacional, subindo de posição até chegar ao terceiro lugar. Iniciou então uma disputa com Tom Valle pelo segundo lugar, até que Valle derrapou levemente na Curva da Vitória e atingiu Constantino, que fazia a curva pelo lado de fora. O toque resultou em um furo no pneu traseiro direito de Constantino, que perdeu duas voltas entre a volta aos boxes e a operação para troca do pneu.

Nas voltas finais, a atração foi a disputa pelo segundo lugar entre Ricardo Baptista e Clemente Lunardi, que acabou em sexto depois de rodar no final da reta oposta. Baptista terminou em segundo, seguido por Valle, Marcel Visconde e seu irmão Adalberto Baptista, que obteve seu melhor resultado na categoria. Também se destacaram Guilherme Figueiroa, Esio Vichiese, Sérgio Ribas e Omilton Visconde Júnior, que completaram os dez primeiros lugares.

Declarações
Ricardo Rosset, segundo colocado na prova 5 e vencedor da prova 6
“Na primeira corrida, eu poderia ter tentado uma ultrapassagem sobre o Constantino, mas correria um grande risco. Aqui, com carros tão iguais, só acontecem ultrapassagens se o piloto da frente errar. Eu torcia para que os retardatários o atrapalhassem mais… Na segunda, quando houve a largada, foi um ‘salseiro’. Tentei por dentro, por onde o pessoal se embolou, daí vi uma avenida por fora e tentei passar por lá. Só que, quando freei, veio um bolo, parecia uma boiada para cima de mim. Tirei para não bater e não consegui fazer a curva. Entrei na área de escape e achei que deixaria a frente do carro no chão, porque ele voou. Na saída, do outro lado, dei sorte por não ter rodado. Demorei algumas voltas para ultrapassar o Daniel [Paludo] e fui atrás do Clemente, que é difícil de ser ultrapassado, ainda mais nesta pista. Quando tentava, o Tom estava atrás de mim, daí não sabia se tentava ou tomava cuidado com o Tom. Tive de me arriscar bastante, travando rodas, para superar o Clemente. Após a manobra, fiz voltas rápidas para abrir uma distância. Depois de tê-la aberto, administrei a vantagem.”

Constantino Júnior, vencedor da prova 5
“De ponta a ponta, parece que foi fácil, mas a pressão foi intensa, como tem sido nas últimas corridas e como deve ser até o fim do ano. Na primeira corrida, praticamente tive de fazer uma volta de classificação atrás da outra, ou seja, andar muito perto do limite, mas com uma margem para evitar erros. O Rosset imprimiu um ritmo forte e não me permitiu aliviar em hora alguma. Os retardatários deram um tempero à disputa, porque alguns deles pareciam não enxergar os carros que vinham atrás. Às vezes você pegava retardatários em pontos de difícil ultrapassagem, o que comprometia a volta. Isso aconteceu comigo e com Rosset durante a primeira corrida.”

Ricardo Baptista, segundo colocado na prova 6
“A largada foi bastante confusa. Consegui manter-me em quinto. Depois ganhei uma ou duas posições e disputei com o Tom no fim da reta, na frenagem, mas acabei perdendo um pouco o controle do carro e voltei em sétimo ou oitavo. A ideia era buscar volta a volta e andar em ritmo de classificação, tentando passar um a um, o que foi dando certo. Segundo lugar era o máximo que eu conseguiria, já que o Rosset tinha aberto uma distância confortável.”

Clemente Lunardi, terceiro colocado na prova 5
“Tive a felicidade de largar bem, em quinto, e logo ultrapassar o Paludo. Depois, encontramos um retardatário, o Ricardo Baptista deu sinal com o farol e acabou apertando o botão de pit lane. Foi então que eu tive a oportunidade de ultrapassá-lo. Quando surge uma oportunidade e você não a aproveita, não aparece outra… Depois quem deu o calor foi ele em mim, mas foi uma disputa gostosa.”

Tom Valle, terceiro colocado na prova 6
“Foi uma corrida trabalhosa. Larguei em 18º na primeira corrida e cheguei em décimo, posição em que comecei a segunda prova. Na confusão da largada, tive que sair pela área de escape e, ao sair na reta, vi que eu estava em quarto porque um monte de gente tinha ficado pelo caminho. Andei em segundo por um bom tempo, até que tive uma disputa com o Ricardo Baptista. Depois o Constantino veio. Também disputamos duas freadas, nos tocamos e o pneu dele furou por causa disso. Durante a corrida, fui ultrapassado por um monte de gente e passei um monte de gente. Foi divertido e ainda cheguei em terceiro lugar.”

Resultado da prova 5 do Porsche Cup no Velopark
1) 00-Constantino Júnior, 28 voltas em 26:10.096
2) 1-Ricardo Rosset, a 0.625
3) 7-Clemente Lunardi, a 17.386
4) 27-Ricardo Baptista, a 18.431
5) 89-Daniel Paludo, a 37.495
6) 55-Marcel Visconde, a 41.601
7) 70-Marcelo Franco, a 46.906
8) 34-Maurizio Billi, a 47.973
9) 10-Adalberto Baptista, a 1 volta
10) 99-Tom Valle, a 1 volta
11) 63-Sérgio Ribas, a 1 volta
12) 16-Ésio Vichiese, a 1 volta
13) 11-Omilton Visconde Jr., a 1 volta
14) 9-Guilherme Figueirôa, a 1 volta
15) 15-Henry Visconde, a 1 volta
16) 18-Danilo Fernandez, a 2 voltas
17) 52-Roberto Posses, a 4 voltas (pneu furado)
Volta mais rápida: Ricardo Rosset, 55.242

Resultado da prova 6
1) 1-Ricardo Rosset, 28 voltas em 26:45.265
2) 27-Ricardo Baptista, a 7.070
3) 99-Tom Valle, a 9.035
4) 55-Marcel Visconde, a 16.440
5) 10-Adalberto Baptista, a 18.644
6) 7-Clemente Lunardi, a 18.755
7) 9-Guilherme Figueirôa, a 24.947
8) 16-Ésio Vichiese, a 26.965
9) 63-Sérgio Ribas, a 31.297
10) 11-Omilton Visconde Jr., a 35.727
11) 52-Roberto Posses, a 1 volta
12) 18-Danilo Fernandez, a 1 volta
13) 15-Henry Visconde, a 1 volta
14) 00-Constantino Júnior, a 2 voltas
15) 34-Maurizio Billi, a 2 voltas
16) 89-Daniel Paludo, a 2 voltas
17) 70-Marcelo Franco, a 28 voltas (acidente)
Melhor volta: Constantino Júnior, 55.457

Classificação do Porsche Cup após seis provas: 1) Ricardo Rosset, 118; 2) Constantino Júnior, 106; 3) Clemente Lunardi, 92; 4) Ricardo Baptista, 69; 5) Marcel Visconde, 68; 6) Tom Valle, 63; 7) Maurizio Billi, 53; 8) Roberto Posses, 43; 9) Guilherme Figueirôa, 43; 10) Marcelo Franco, 40; 11) Adalberto Baptista, 38; 12) Daniel Paludo, 30; 13) Sérgio Ribas, 27; 14) Esio Vichiese, 23; 15) Eduardo de Souza Ramos, 15; 16) Charles Reed, 14; 17) Omilton Visconde Júnior, 14; 18) Henry Visconde, 8; 19) Danilo Fernandez, 5; 20) Marcos Barros, 4 pontos.

PARCEIROS