Garanta Seu Ingresso

Posses e Zattar empatados

Uma vitória e um segundo lugar. Com esses resultados, Beto Posses e Luís Zattar passaram a dividir a liderança do GT3 Cup Challenge Brasil após a disputa das duas primeiras etapas do campeonato, realizadas neste sábado (28 de maio) em Interlagos. Posses venceu a primeira corrida após uma boa disputa com Zattar; na segunda, os dois pilotos voltaram a terminar na frente dos demais, mas em ordem inversa. Ambos lideram o campeonato, disputado somente por carros Porsche 911 GT3 Cup equipados com pneus Yokohama.

Zattar e Posses fizeram os dois melhores tempos nos treinos e acabaram transformando a disputa pela vitória em um duelo particular. Na primeira corrida, Zattar, pole position, saiu na frente mas logo na primeira volta ficou sem embreagem, perdendo a liderança para Posses na curva Bico de Pato. Os dois continuaram andando juntos e abriram boa distância para Otávio Mesquita, Totó Porto e Antônio Valle, que disputavam o terceiro lugar. Na metade da corrida, Valle rodou na Descida do Lago e Porto não pôde evitar uma colisão. O safety car entrou na pista para que os carros acidentados fossem removidos.

As três primeiras posições continuaram inalteradas após a relargada, mas Mesquita havia sido punido com acréscimo de 20 segundos em seu tempo de corrida por ter queimado a largada. O terceiro lugar passou a ser disputado por Marcel Visconde e José Guilherme Figuerôa, que conseguiu a ultrapassagem na última volta. A cronometragem registrou o mesmo tempo para ambos os pilotos, mas Figuerôa foi classificado à frente porque o sensor detectou sua passagem antes da de Visconde. A diferença entre ambos foi inferior a um milésimo de segundo.

O grid de largada da segunda corrida foi formado de acordo com o resultado da primeira. Zattar assumiu a liderança e manteve uma disputa acirrada com Posses até que este último rodou no Bico de Pato. Posses voltou em quarto lugar e em poucas voltas já estava novamente em segundo, mas não havia mais tempo para se aproximar de Zattar. Otávio Mesquita terminou novamente em terceiro lugar, desta vez sem punição, e Marcel Visconde ficou em quarto.

Beto Posses, vencedor da etapa 1 e segundo colocado na etapa 2: “Cheguei aqui esperando conseguir um quinto ou sexto lugar. Saí com uma vitória, um segundo e liderando o campeonato! O Zattar me deu muito trabalho na primeira corrida, mas consegui me manter à frente e consegui minha primeira vitória na classificação geral em uma corrida. Na segunda etapa, rodei por pura empolgação. Mesmo assim terminei em segundo. Foi um final de semana muito especial. Estou realmente feliz com o que consegui.”

Luís Zattar, segundo colocado na etapa 1 e vencedor da etapa 2: “Fiquei sem embreagem logo na primeira volta da primeira corrida. O carro perdeu um pouco de desempenho, passou a vibrar muito e fiquei com medo de conseguir chegar ao final. Tive chance de passar o Posses na relargada, mas entrou quinta marcha em vez de terceira. O motor deu uma bela caída de giro e quase perdi também o segundo lugar! Na segunda corrida, com embreagem nova, tudo deu certo. O começo foi difícil porque o Posses pressionou forte, mas depois ele rodou e fiquei mais sossegado.”

José Guilherme Figuerôa, terceiro colocado na etapa 1: “Fui escapando dos acidentes e isso foi importante para chegar bem. A pista ficou muito escorregadia por causa do líquido derramado pelos radiadores quebrados dos carros acidentados. Na última volta, peguei o vácuo do Marcel e consegui ficar à frente dele por uma margem mínima. Na segunda corrida, errei uma marcha e o platô quebrou. Isso fez meu tempo de volta ficar 3 segundos mais lento. Poderia manter o quarto lugar, mas dei uma rodada e o motor apagou. Isso me fez cair para sétimo.”

Otávio Mesquita, terceiro colocado na etapa 2: “Tive uma disputa muito intensa com o Totó e o Valle até que aconteceu o acidente. Achei injusta minha punição na primeira corrida, pois tenho certeza de que não queimei a largada. A segunda, em compensação, foi uma das melhores corridas que já fiz. Corri com calma e o Posses acabou me passando quando escapei na curva do S. Foi bacana, fiquei contente com meu desempenho.”

GT3 Cup Challenge Brasil – Interlagos, 28 de maio de 2005

Resultado da primeira etapa:
1) Beto Posses, 16 voltas em 31min09s369, média de 132,771 km/h
2) Luís Zattar, a 0s891
3) José Guilherme Figuerôa, a 11s519
4) Marcel Visconde, a 11s519
5) Antônio Moraes, a 22s683
6) Marcos Moraes Barros, a 24s283
7) Otávio Mesquia, a 27s107
8) Henry Visconde, a 27s253
9) Charles Reed, a 1 volta (acidente)
10) Totó Porto, a 8 voltas (acidente)
11) Antônio Valle, a 8 voltas (acidente)
12) Ricardo Baptista, a 14 voltas (acidente/vazamento de água)
13) Omilton Visconde Jr., a 14 voltas (embreagem)

Não largou: André Lara.
Volta mais rápida: Beto Posses, 1min43s623

Resultado da segunda etapa
1) Luís Zattar, 16 voltas em 28min18s469, média de 146,129 km/h
2) Beto Posses, a 6s141
3) Otávio Mesquita, a 12s841
4) Marcel Visconde, a 27s971
5) Marcos Moraes Barros, a 29s858
6) Ricardo Baptista, a 35s146
7) José Guilherme Figuerôa, 42s805
8) Charles Reed, a 45s415
9) Antônio Moraes, a 1min13s252
10) Omilton Visconde Jr., a 1min30s140
Não largaram: Henry Visconde, Totó Porto, Antônio Valle, André Lara.
Volta mais rápida: Beto Posses, 1min44s163

Todos com Porsche 911 GT3 Cup equipados com pneus Yokohama.

Classificação do GT3 Cup Challenge Brasil após duas etapas:
1) Beto Posses e Luís Zattar, 38 pontos;
3) Marcel Visconde, 28;
4) José Guilherme Figuerôa e Otávio Mesquita, 25;
6) Marcos Moraes Barros, 22;
7) Antônio Moraes, 19;
8) Charles Reed, 15;
9) Ricardo Baptista, 10;
10) Henry Visconde, 8;
11) Omilton Visconde Jr. e Totó Porto, 6;
13) Antônio Valle, 5 pontos.

Próximas etapas: 11 de junho, Interlagos.

PARCEIROS