Garanta Seu Ingresso

Em provas emocionantes, Guilherme Ribas e Daniel Schneider vencem na Challenge em Curitiba

Duas corridas emocionantes e duas vitórias duramente conquistadas. Guilherme Ribas e Daniel Schneider foram os grandes nomes da Porsche Challenge em Curitiba. Ribas conquistou “em casa” sua primeira vitória na categoria, enquanto Schneider, com um segundo e um primeiro lugares, assumiu a liderança do campeonato.

O bom desempenho nos treinos classificatórios dava indícios que Schneider estenderia para Pinhais a hegemonia conquistada em Interlagos. Mas a força e a garra de Ribas falaram mais alto: com uma ultrapassagem na última volta, conquistou a vitória na primeira na prova da Challenge em Curitiba. Schneider compensou a frustração vencendo a segunda corrida, resistindo ao forte assédio de Gilberto Farah e Rodolfo Ometto.

Atendendo à determinação da direção de prova, a prova 7 teve largada com o Safety Car na pista, devido ao asfalto ainda estar úmido por causa da chuva que caiu pela manhã. Na relargada, Schneider pulou na frente e foi abrindo vantagem em relação ao pelotão. A disputa pelo 2° lugar se dava de maneira acirrada entre Ribas, Fábio Alves e Gilberto Farah. Logo na primeira volta, o então líder do campeonato, Rodolfo Ometto, escapou no S do final da reta, perdeu o controle de seu Porsche e colidiu com Franco Giaffone, dando fim à prova de ambos. Eduardo Azevedo, que andava próximo dos dois, também se envolveu na confusão e perdeu muitas posições. O acidente forçou a entrada do Safety Car na pista.

Na relargada, Schneider mais uma vez pulou na frente, seguido por Carlos Ambrosio, Gil Farah e Guilherme Ribas. O piloto paranaense começou a andar mais rápido e ganhou posições até uma rodada do italiano Ludovico Pezzangora tornar necessária uma nova entrada do Safety Car.

Após nova relargada, Schneider manteve a ponta, mas agora seguido de perto por Ribas. Na última volta, Ribas aproveitou-se de um erro de Schneider e fez a ultrapassagem, conquistando de maneira emocionante sua primeira vitória na Challenge. No pódio, recebeu o troféu de vencedor do pai, Sérgio (piloto da categoria Cup) e do filho Pietro.

Fábio Alves conseguiu segurar a pressão de Gil Farah e conquistou o terceiro lugar na prova. O pódio ainda foi completado por Carlos Ambrosio que chegou em quinto lugar e por Marcelo Stallone que chegou logo atrás, em sexto.

Na prova 8, disputada com sol e pista seca, Schneider pulou na frente com Ometto em segundo, seguido de perto por Farah. O líder seguia tranquilo na ponta, mas Ometto e Farah brigavam intensamente pelo 2° lugar. Após muita pressão, Farah assumiu a 2ª posição. Ele e Ometto aproveitavam o tráfego para se aproximar de Schneider, mas não tiveram como ultrapassar o líder.

Declarações dos três primeiros colocados

Daniel Schneider – “A disputa com o Farah e o Rodolfo foi duríssima. Uma novidade foi tráfego pesado na prova. Ainda é muito cedo pra falar em títulos, uma coisa de cada vez, mas cumpri minha promessa de ser menos conservador e venci. A primeira corrioda foi fustrante, mas o resultado foi ótimo para o campeonato. Não podia ter acontecido, mas cometi um pequeno erro e perdi.”

Guilherme Ribas – “Estou muito emocionado! Foi especial vencer uma corrida boa e competitiva, como essa, muito gratificante. Senti que estava andando bem e tentei me concentrar e aguardar a chance. Foi bom também para tirar o peso da corrida anterior em Curitiba, em que perdi o segundo lugar ao bater na última volta.”

Fábio Alves – “A pista estava difícil: nem molhada nem seca. Consegui me desvencilhar do acidente do começo e ali ganhei três posições. Depois disso levei tentando não errar. Consegui uma ultrapassagem e pulei pra terceiro. Pra próxima a perspectiva é melhor, já que largarei lá na frente”

Gilberto Farah – “O Rodolfo me passou e eu passei ele logo depois. Consegui me aproximar do Schneider, mas chegar é uma coisa e passar é outra. Saio daqui satisfeito principalmente por ter ganho uma posição na classificação do campeonato”.

Rodolfo Ometto – “Levando em conta todas as circunstâncias, a prova foi muito boa. Não tive sorte na primeira prova, me envolvi num acidente, machuquei o pé e o carro ficou bastante avariado. No final, o Gil colocou muita pressão e num errinho e ele me passou. Havia muito trânsito também”.

Porsche Challenge, prova 7
1) 25-Guilherme Ribas, 15 voltas em 27:22.087, média de 123,812 km/h
2) 77-Daniel Schneider, a 1.430
3) 63-Fábio Alves, a 2.138
4) 81-Gilberto Farah, a 2.416
5) 18-Carlos Ambrósio, a 8.616
6) 17-Marcelo Stallone, a 9.272
7) 15-James Ramos (L), a 10.396
8) 19-Christian Germano (L), a 14.809
9) 31-Marcello Sant’Anna, a 15.910
10) 44-Luiz Arruda, a 17.206
11) Rodolfo Toni (L), a 17.603
12) 90-Peter Ficker (L), a 18.470
13) 88-Eduardo Azevedo, a 18.865
14) 33-Rick Lisboa (L), a 19.655
15) 22-Luís Carvalho, a 22.869
16) 21-Valter Rossette, a 22.973
17) 82-Renato Benedetto, a 23.098
18) 69-Esio Vichiese, a 23.887
19) 93-Rodrigo Mello (L), a 37.433
20) 16-Ludovico Pezzangora, a 7 voltas (acidente)
21) 51-Otávio Mesquita, a 9 voltas (motor)
22) 8-Rodolfo Ometto, a 12 voltas (acidente)
23) 3-Franco Giaffone, a 12 voltas (acidente)
(L) pilotos inscritos na classe Light
Melhor volta: Guilherme Ribas, 1:31.870, média de 147,535

Porsche Challenge, prova 8
1) 77-Daniel Schneider, 19 voltas em 26:53.475, média de 159,610 km/h
2) 81-Gilberto Farah, a 0.605
3) 8-Rodolfo Ometto, a 2.805
4) 3-Franco Giaffone, a 5.650
5) 25-Guilherme Ribas, a 20.500
6) 63-Fábio Alves, a 22.227
7) 21-Valter Rossette, a 23.050
8) 17-Marcelo Stallone, a 36.714
9) 88-Eduardo Azevedo, a 36.813
10) 16-Ludovico Pezzangora, a 37.443
11) 31-Marcello Sant’Anna, a 46.624
12) 18-Carlos Ambrósio, a 53.968
13) 82-Renato Benedetto, a 54.315
14) 19-Tom Filho (L), a 59.478
15) 69-Esio Vichiese, a 1:16.773
16) 44-Luiz Arruda, a 1:17.621
17) 93-Carlos Baptista (L), a 1:25.978
18) 53-Mayara Bianchi (L), a 1 volta
19) 33-Joca Silveira (L), a 1 volta
20) 22-Luís Carvalho, a 1 volta
21) 90-Roberto Mello (L), a 2 voltas
22) 15-Rogério Wehmuth (L), a 3 voltas
Não largou: 51-Otávio Mesquita
(L) pilotos inscritos na classe Light
Melhor volta: Daniel Schneider, 1:24.123, média de 159,610

PARCEIROS