Garanta Seu Ingresso

Challenge: Franco Giaffone “dá tapa no retrovisor” e vence pela primeira vez, Rodolfo Toni vence prova da Light

A tristeza sentida por Franco Giaffone no sábado, ao ser informado de que perderia a pole position conquistada na sessão classificatória, foi amplamente compensada neste domingo. Alinhado em segundo lugar no grid, Giaffone deu uma boa largada, superou o pole Daniel Schneider na primeira curva e liderou até o final, chegando à sua primeira vitória na categoria.

“Foi muito melhor largar em segundo e terminar em primeiro lugar do que teria sido se acontecesse ao contrário”, comemorou o piloto. “Fiz uma boa largada e consegui passar o Schneider na primeira curva. Daí em diante, fiquei prestando atenção em quem vinha atrás, mas pelo rádio eu era informado de que minha distância aumentava. Aí, segui um conselho do meu pai e ‘dei um tapa no retrovisor’, para ficar concentrado somente na minha corrida.” Franco é filho de Affonso Giaffone Júnior, campeão brasileiro de Stock Car em 1981 e um dos grandes pilotos da história do automobilismo brasileiro.

Com Giaffone abrindo vantagem a cada volta, as emoções para o público foram proporcionadas pelas disputas pelo segundo lugar. O estreante Du Rocha assumiu o segundo lugar na quinta volta e resistiu aos ataques de Schneider durante um bom tempo. Nas voltas finais, outros pilotos se juntaram à luta pelo segundo lugar: Ometto, Gilberto Farah e Otávio Mesquita. A duas voltas da bandeirada, Rocha rodou na Junção e abandonou. Na penúltima, mais um incidente no mesmo local: Farah foi ultrapassado por Mesquita na entrada da curva e tentou dar o troco quando o adversário escorregou no asfalto molhado. Os dois carros colidiram e Farah levou a pior, rodando e abandonando com um pneu furado.

Além de Rocha e Farah, a prova teve somente mais um abandono. Carlos Ambrósio foi atingido por Mesquita no S do Senna. Ambrósio protestou, mas os comissários desportivos interpretaram que a disputa de Mesquita era com Farah, a quem tentava ultrapassar. A colisão com Ambrósio, que fez seu traçado normalmente no momento em que Mesquita tentava passar Farah por dentro na primeira perna do S do Senna, foi considerada incidente normal de corrida.

Entre os pilotos da classe Light, Rodolfo Toni confirmou a boa forma mostrada nos treinos e venceu pela segunda vez consecutiva, terminando à frente de Rodrigo Mello, Tom Filho, Guto Oni e Rodrigo Souza, que completaram o pódio. Entre os pilotos argentinos, que correram em Interlagos pela primeira vez, Gonzalo Patoqui terminou em sétimo na classe, com Alejandro Pimentel em nono e Jorge Gomez em décimo.

A prova final do Porsche GT3 Cup Challenge será realizada nos dias 7 e 8 de dezembro.

Resultado final da Porsche Challenge:
1) 3-Franco Giaffone, 16 voltas em 27:48.529, média de 148,688 km/h
2) 77-Daniel Schneider, a 17.552
3) 8-Rodolfo Ometto, a 18.047
4) 51-Otávio Mesquita, a 19.744
5) 63-Fábio Alves, a 21.364
6) 31-Marcello Sant’Anna, a 25.485
7) 10-Carlos Silveira, a 40.902
8) 17-Marcelo Stallone, a 50.116
9) 16-Ludovico Pezzangora, a 1:00.309
10) 53-Rodolfo Toni (L), a 1:14.644
11) 29-Rodrigo Mello (L), a 1:18.188
12) 19-Tom Filho (L), a 1:19.538
13) 93-Guto Oni (L), a 1:32.387
14) 35-Rodrigo Souza (L), a 1:37.726
15) 90-Peter Ficker (L), a 1:38.335
16) 39-Gonzalo Patoqui (L), a 1:38.941
17) 55-Xarlis Mud (L), a 1:43.859
18) 67-Alejandro Pimentel (L), a 1 volta
19) 58-Jorge Gomez (L), a 1 volta
20) 81-Gilberto Farah, a 2 voltas (saída de pista/pneu furado)
21) 13-Du Rocha, a 3 voltas (saída de pista)
Não classificados (menos de 75% da distância percorrida pelo vencedor)
18-Carlos Ambrósio, a 13 voltas (colisão)
Não largou
88-Eduardo Azevedo, 1:59.986
(L) piloto inscrito na classe Light
Volta mais rápida: Franco Giaffone, 1:43.352, média de 150,092 km/h
Todos com Porsche 911 GT3 Cup 3.6 equipados com pneus Yokohama

Classificação do campeonato após 14 provas
1) Daniel Schneider, 213 pontos; 2) Rodolfo Ometto, 186; 3) Carlos Ambrósio, 147; 4) Gilberto Farah, 134; 5) Otávio Mesquita, 130; 6) Franco Giaffone, 118; 7) Fábio Alves, 115; 8) Eduardo Azevedo, 105; 9) Marcelo Stallone, 90; 10) Marcello Sant’Anna, 88;11) Carlos Silveira, 58; 12) Ludovico Pezzangora, 46; 13) Johnny Freire, 45; 14) Ipe Ferraiolo, 44; 15) Guilherme Ribas, 36; 16) Luiz Arruda, 31; 17) Tom Filho, 30; 18) Elias Azevedo, 24; 19) Christian Pons, 24; 20) James Ramos, 24; 21) Caê Coelho, 22; 22) Rodolfo Toni, 20; 23) Rodrigo Mello, 19; 24) Alan Turres, 18; 25) Renato Benedetto, 18; 26) Vitor Scheid, 17; 27) Rodrigo Souza, 17; 28) Luís Carvalho, 16; 29) Rick Lisboa, 12; 30) Peter Ficker, 12; 31) Valter Rossete, 10; 32) Christian Germano, 9; 33) Guto Oni, 9; 34) Mayara Bianchi, 7; 35) Roberto Mello, 6; 36) Tiozinho Marangoni, 6; 37) Joca Silveira, 5; 38) Gonzalo Patoqui, 5; 39) Rogério Wehmuth, 4; 40) Sérgio Laganá, 3; 41) Zé Ricardo Viana, 2; 42) Esio Vichiese, 2; 43) Carlos Baptista, Jorge Gomez, Alejandro Pimentel e Du Rocha, sem pontos.

PARCEIROS