Garanta Seu Ingresso

Atual campeão na Challenge, Tom Filho aponta os segredos para brilhar no campeonato de Endurance

Saem as provas rápidas, de Sprint, e entram na pista as competições de longa duração, de Endurance. Neste fim de semana, no Velo Città, em Mogi Guaçu (SP), a Porsche Império GT3 Cup começa uma fase diferente na temporada, afinal, a sexta etapa de 2017 vai contar com a primeira disputa do campeonato de Endurance. E se existe um piloto que entende muito bem do assunto, esse é Tom Filho. Afinal, no ano passado, ele se tornou o primeiro campeão da Challenge no torneio de longa duração, ao lado de Rodrigo Mello.

Quinto colocado no campeonato de Sprint em 2017, Tom tem na cabeça a tática perfeita para tentar repetir a conquista da temporada anterior, justamente quando as corridas de Endurance entraram no calendário da categoria.

“A experiência que a gente traz do ano passado é de tentar levar o carro até o fim das provas, não disputar freadas em momentos que não seja necessário, não abusar do equipamento…”, resumiu o piloto.

Se no campeonato de Sprint as corridas têm a duração de 25 minutos mais uma volta, no Endurance a situação é completamente diferente. No Velo Città serão 300 km (ou 2h30) de duração, o que torna a disputa mais desgastante. Até por isso, a tática, o bom entrosamento com o parceiro de dupla e o cuidado extra com o equipamento são os diferenciais. Vale lembrar que, assim como em 2016, Tom vai formar parceria com Rodrigo Mello.

“Minha preparação tem sido mais pensando no regulamento, lendo o regulamento, com um bom preparo físico e o foco em ter na cabeça o fato de manter o carro intacto até o fim. Não acho que eu e Rodrigo sejamos os caras com mais chances de saírem vencedores, muito pelo contrário. Agora, é aquela coisa: as corridas de longa duração têm um perfil completamente diferente do Sprint. As largadas precisam ser mais amenas. O Velo Cittá tem uma pista mais estreita, temos de ficar de olho no tráfego. Estou confiante, tranquilo. O que fizemos ano passado já é louvável. Fomos uma das poucas duplas sem pilotos profissionais. Acredito que vamos buscar de novo. Não somos favoritos, mas vamos lutar”, avaliou Tom.

Além dos atuais vencedores na Challenge, outro campeão de Endurance que está confirmado no Velo Città é Allan Hellmeister. Vencedor na Cup em 2016, ele vai formar dupla com Luca Seripieri neste ano, na Challenge.

Vale lembrar que o campeonato de longa duração da Porsche Império GT3 Cup conta com três etapas. Além da disputa em Mogi Guaçu, os pilotos vão correr em Goiânia (300 km) e Interlagos (500 km). Emoção não vai faltar.

Confira um bate-bola com Tom Filho:

1- Qual a expectativa para a etapa deste fim de semana, no Velo Città?

“Vamos ter uma corrida sob um calor muito intenso. Nossa intenção vai ser manter o carro íntegro, mecanicamente intacto até o fim da corrida. Sabemos que temos velocidade, mas o mais importante é ter na nossa cabeça que precisamos trazer o carro intacto até o fim, sem desgastar o equipamento. Vai ser muito difícil esse ano. O que vai complicar muito para a gente serão as duplas com os profissionais”

2- Por ser uma prova de longa duração e em dupla, quais as principais diferenças entre disputar o campeonato de Sprint e de Endurance?

“A grande diferença entre a Sprint e a Endurance é saber classificar bem e, depois, manter o carro intacto. Na Sprint, tem de dar tudo em pouco tempo. Na Endurance, você precisa manter o equipamento inteiro”

3- Quais as principais lembranças do campeonato do ano passado?

“O que mais me marcou no ano passado foi, com certeza, a vitória em Goiânia. Foi um momento muito especial para mim e para o Rodrigo. Tivemos uma quinta e uma sexta-feira muito complicadas. Na prova, largamos com um calor absurdo, precisamos trocar de carro no meio da disputa, porque tivemos alguns problemas. Estávamos sem ventilação, sem refrigeração nos coletes. Mas valeu a pena, aquela corrida foi maravilhosa”

4- Acha que dá para repetir o título nesse ano?

“Repetir o título é uma questão de muita sorte nesse momento. Não conto com isso agora. Conto em fazer o melhor campeonato possível, tentando manter o carro intacto. Conquistar o título é a consequência de um trabalho bem feito durante as três etapas. Não vejo nenhum franco favorito, mas se tivesse de apontar, diria que as duplas com os profissionais estão na nossa frente”

PARCEIROS